Eve dá início ao processo de certificação de seus carros voadores

Empresa pretende começar operações em 2026
carros voadores da Eve

Vocês teriam coragem de voar em um avião sem piloto? Então já vão se preparando porque os carros voadores vêm aí. Eve, deu início ao seu processo de certificação junto à Anac e pretende colocar seus brinquedinhos no ar já em 2026. 

O que é a Eve? 

Esta é nossa empresa brasileira controlada pela Embraer. A novinha surgiu em outubro de 2020 e já dominou o baile. A Eve é a fabricante dos veículos elétricos de decolagem e pouso vertical, eVTOL.

Ou seja, sim, basicamente um helicóptero elétrico, para os mais debochados que implicam com o modelo. Contudo, a promessa é de que essas aeronaves sejam mais acessíveis. 

Isso porque esses carros elétricos, por óbvio, dispensam os combustíveis fósseis, que estão quase valendo um rim. Outro fator, é que mais adiante, os eVTOL não terão piloto, o que vai baratear ainda mais seu custo. 

Para se ter uma ideia, a previsão de preço por km terá uma média de R$19. E o aumento da demanda vai fazer esse valor cair para uma média de R$7. 

Está anotado, hein, dona Eve. Nós vamos cobrar esse precinho. 

E aí? O que é que falta para ela pegar voo? 

A princípio, o que falta é o Certificado de Tipo, CT, emitido pela Anac, Agência Nacional de Aviação Civil. Os carros voadores serão submetidos a dezenas de testes de aeronavegabilidade. E se estiver tudo ok, certifica. 

Afinal, é preciso saber se é seguro mesmo decolar nesse helicóptero a base de luz, porque se der algum problema lá em cima é só segurar na mão do Senhor mesmo e se entregar. 

Assim, submetida e aprovada nesse processo de certificação, a Eve torna-se querida e desejada nacionalmente e internacionalmente. E olha que a empresa já tem quase 2 mil pedidos de eVTOL avaliados em US$ 5,2 bilhões. E quando a novinha certificar, então? 

como isso vai funcionar na prática? 

Toda a parte de logística vai ficar a cargo dos nossos legisladores, que terão até 2025 e 2026 para regulamentar esse brinquedinhos voadores. 

Aliás, nem os Estados Unidos, nem os países da Europa parecem preocupados com isso agora. E olha que as Startups americanas e as europeias estão um pouco mais adiantadas que a nossa Eve.

Já imaginou se nosso parlamento cria essa regulamentação antes desses dois tigrões e nossa lei passe por um Ctrl C, Ctrl V para outros países? 

Se o Brasil vai lançar moda ou não, não sabemos. O que importa é que 2026 promete. 

Inscreva-se na nossa newsletter!