Início » Tecnologia » Companhias aéreas veem riscos em tecnologia 5G

Companhias aéreas veem riscos em tecnologia 5G

Estudos têm sido feitos para verificar se há perigo ou não
imagem que ilustra a tecnologia 5G
(Montagem/Anatel)

Colegas, vocês acreditam que a tecnologia 5G pode chegar por aqui antes de chegar no todo poderoso United States? Menina, o  ADM também está passado! 

Isso porque as companhias aéreas norte-americanas estão alegando que as ondas de rádio emitidas pelo 5G têm frequências muito próximas às frequências de rádio emitidas por um equipamento de voo de aeronaves, o altímetro. 

Espera aí, ADM, assim não dá. Consegue explicar? 

Primeiramente, de uma forma bem didática. O seu smartphone, sua TV digital, o rádio do seu carro, estão constantemente recebendo e enviando informações, através de ondas eletromagnéticas. 

Essas ondas podem ter baixa ou alta frequência. As de baixa tem ondas longas. imagine o cabelo ondulado do cantor Shawn Mendes. Já as frequências altas possuem uma onda mais curta, como os cabelos do cantor brasileiro Vitão, bem cacheadinho. 

E o que está sendo discutido? 

A alegação das companhias aéreas é de que as frequências de ondas curtas do 5G se assemelham muito às ondas emitidas pelos altímetros dos aviões. O que pode causar interferência.

Os altímetros são equipamentos utilizados pelas aeronaves que indicam a altitude do avião, ajudando a regular a pressão dentro da cabine, além de auxiliar nas operações de pouso. Ou seja, o bichinho é bem importante. 

A tecnologia 5G entraria em ação amanhã nos Estados Unidos, porém, foi adiada para o dia 19 deste mês, já que passará por novas análises. 

As companhias telefônicas que pagaram US$ 80 bilhões em leilão para ter essa belezinha estão pistolas com isso. 

E qual a boa do 5G?

Até 100 vezes mais rápida que a internet 4G. Baixar jogos e aplicativos vai se tornar uma massagem no peito de um coraçãozinho ansioso. Além disso, os carros autônomos precisam dessa velocidade na transmissão de seus dados. 

Ademais, você não precisará guardar muita coisa na memória do seu celular ou PC, considerando que as altas velocidades tornarão guardar arquivos na nuvem uma opção bem interessante. 

Ah, como eu disse no início, no Brasil essa novidade pode chegar mais cedo porque a Embraer e a Anatel estão monitorando juntas possíveis interferências. 

Por aqui, as frequências serão um pouco menores, ou seja, ainda não é uma internet tão rápida quanto a da gringa, o que pode ser positivo, já que tem menos chances de interferir nos equipamentos das aeronaves. 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp