Tesouro dos EUA anuncia medidas para acabar com ataques hackers

Se ficar o bicho pega, se correr o bicho come

O Tesouro dos Estados Unidos está preocupado com a quantidade de ataques cibernéticos principalmente a empresas lá nos Estados Unidos. 

Esses ataques são chamados de “ransomware”, mesmo estilo do ataque a plataforma das lojas Renner, quando um grupo de hackers derruba os sistemas, sites, plataformas de uma empresa e pede um resgate normamlmente em criptomoedas para devolver os sistemas. No caso da Renner, o resgate pedido foi de US$1 bilhão

Além da queda do site em si, outra preocupação é a exposição dos dados tanto da empresa em si, informações financeiras, dados dos usuários, dados de funcionários, etc então já dá pra ver o peso e a relevância que é esses “ransomware”. Essa foi uma das preocupações do Grupo Fleury quando foi invadida já que dados de saúde de pacientes é extremamente sigiloso.

Ransomware e ataques cibernéticos estão vitimando empresas grandes e pequenas em toda a América e são uma ameaça direta à nossa economia. Continuaremos a reprimir os atores maliciosos”,

disse a secretária do Tesouro, Janet Yellen.

Segundo o Tesouro Americano, os pagamentos de resgate de sistemas atacados por esses grupos de hackers atingiu US$400 milhões em 2020, uma crescente de 4 vezes comparado a 2019. 

Plano de Ação do Tesouro 

A partir de agora, o Tesouro Americano decidiu que os americanos estão proibidos de negociar ou se envolver em qualquer tipo de transação com grupos que cometem esses ataques hackers. Essa ação coloca mais pressão nos hackers que estão fazendo um estrago mundo afora e metendo a faca em empresas que dependem dos sistemas de TI para funcionar.

🤣 Fun fact: Em 2020 o site do próprio Departamento do Tesouro foi invadido por um grupo de hackers.

Inscreva-se na nossa newsletter!