Tesla é processada por JPMorgan após tweet de Elon Musk

O banco norte-americano processou a montadora em US$ 162 milhões por uma publicação de 2018
Tesla é processada por JPMorgan após tweet de Elon Musk

Seguindo a tendência do cancelamento com tweets antigos, o JPMorgan desenterrou uma publicação de Elon Musk, feita em 7 de agosto de 2018, e protocolou um processo contra a Tesla. A acusação, registrada ontem (15), alega que a montadora rompeu um contrato após o post e que, por conta disso, deve pagar US$ 162,2 milhões (cerca de R$ 890 milhões).

Na época, o bilionário afirmou que pretendia fechar o capital da Tesla (encerrar as negociações na bolsa, em outras palavras) quando a empresa chegasse a US$ 420 por ação. No entanto, ele desistiu da ideia poucos dias depois.

A grande questão é, segundo o JPMorgan, que o post de Musk causou grande impacto no mercado financeiro e, consequentemente, nas ações da Tesla e no contrato feito entre a montadora e o banco.

Entenda melhor a história

Em 2014, a Tesla e o JPMorgan fecharam contratos de títulos de garantia (warrents). Basicamente, esses investimentos permitem que o comprador (JPMorgan) possa comprar ações de uma determinada empresa (Tesla) a um preço definido dentro de um determinado período de tempo.

Neste caso, os títulos deveriam expirar em junho e julho de 2021. O acordo previa que a montadora deveria fazer um pagamento ao banco caso os papéis da Tesla estivessem cotados abaixo de um determinado valor definido pelo JPMorgan neste prazo de vencimento.

Inicialmente, de acordo com o portal de notícias The Verge, o preço de exercício definido era de US$ 560,6.

No entanto, quando Musk fez o tweet, o JPMorgan alterou as garantias definidas inicialmente por conta da grande decisão anunciada pelo fundador da empresa e reduziu este valor. Quando o bilionário comunicou que não levaria a decisão adiante, o banco norte-americano precisou reajustar o contrato novamente.

E agora?

Com o vencimento dos contratos e a forte alta das ações da Tesla, banco afirma que a montadora deveria pagar ao menos pelos ajustes nas garantias que foram feitos ao longo deste período, já que foram provocados por tweets de Musk.

Isso porque o contrato permitia que ajustes fossem feitos caso ocorressem ‘transações corporativas significativas envolvendo a Tesla’. Mesmo assim, a companhia e Musk afirmou que os ajustes eram uma tentativa oportunista do JPMorgan de tirar vantagem da ‘volatilidade das ações da Tesla’.

Vale destacar que, na época do tweet, a Securities and Exchange Commission (SEC), responsável por regular o mercado de capitais nos EUA, multou o bilionário e a Tesla em US$ 20 milhões por “fraude de títulos”.

Em meio a mais uma polêmica envolvendo o nome de Elon Musk, as ações da Tesla, negociadas sob o código TSLA, estão operando em alta de 3%, por volta das 12h. Os papéis estão cotados em US$ 1.044 na Nasdaq, bolsa de valores norte-americana.

Inscreva-se na nossa newsletter!