Início » Negócios » Remédios terão reajuste de cerca de 10% em 2022

Remédios terão reajuste de cerca de 10% em 2022

As correções levam em conta a produtividade das empresas e a inflação
remédios
Foto: Agência Brasil

Todo ano os remédios sofrem um reajuste e para 2022 ele será de cerca de 10% segundo estimativas após análise do levantamento divulgado pelo Cmed. 

Cmed? Nunca ouvi falar. O que é?

Primeiramente, Cmed, Comitê Técnico-Executivo da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos. A câmara é composta por representantes dos Ministérios da Saúde, Economia, Justiça e Casa Civil. A Anvisa é aquela que senta na ponta da mesa, sendo a secretária executiva. 

Juntos, essa “Liga da Justiça” do mercado de medicamentos atua na defesa dos interesses do consumidor de aspirina e outros remédios.  

Caso você não saiba, os fabricantes de drogas lícitas não têm liberdade total para definir  seus preços. 

Para definição do valor de cada receitinha, o fabricante leva sua humilde sugestão de preço a Cmed. A câmara então, analisa toda a documentação e o que mais achar útil e estabelece um teto de preço e divulga em seu site. 

Aliás, o consumidor pode ficar de olho, já que caso a farmácia esteja aplicando valores acima do teto, a câmara pode ser acionada para chamar nas catracas essa drogaria ousada. 

E por que a estimativa de 10%?

Alguns fatores são levados em conta na hora de considerar o reajuste anual. Um deles é o fator X, que é o fator de produtividade. Nesta semana, o Cmed avaliou o fator X em 0%.

Oxe! Que ‘disgrama’ é essa de 0%?

Veja, esse percentual pode parecer confuso, mas significa que ou a empresa conseguiu produzir mais gastando o mesmo, ou continuou produzindo o mesmo com um custo menor. Agora fez sentido? 

Assim, o reajuste que a princípio pode assustar o consumidor, pode nem ser significativamente sentido por ele. Já que a capacidade de produção das empresas ficou em um patamar bacana. 

Além disso, a inflação também entra na análise para o reajuste. Uma vez que o preço não pode ficar acima dela. 

Esse reajuste é mesmo necessário? 

Sim, coisa linda. É importante. Ainda que como consumidor você não enxergue isso, para o empresário que tem os preços de seus produtos regulados por um órgão ou câmara, isso é necessário. 

Vale ressaltar que nem todos os remédios são regulados por essa entidade. Logo, esse reajuste será apenas para alguns medicamentos. 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp