Raízen ganha selo Women On Board com duas mulheres no conselho

Ainda há muito a ser feito, mas segura que as mulheres estão chegando!
mulheres de negocios

A Raízen recebeu selo Women on Board, iniciativa apoiada pela ONU Mulheres, que reconhece a presença significativa do gênero feminino em conselhos empresariais.

De sete pessoas presentes no conselho da Raízen, além do presidente, duas delas são mulheres: Luciana de Oliveira Cezar Coelho e Sonat Burman Olsson. Apesar de pouco, é um começo e o selo é feito para reconhecer e incentivar isso. O conselho conta com mais dois brasileiros, um holandês, um húngaro e um norte-americano.

A Raízen é a maior produtora de açúcar e etanol do país e é licenciada da Shell, o que traz visibilidade para a pauta também.

É claro que o conceito de igualdade existe e é presente em muitos lugares. Mas, é verdade também que a presença das mulheres em vários cargos de empresas ainda é desigual, inclusive em ambientes cujas atividades independem da força física, por exemplo. 

Sonat, uma das integrantes do conselho, tem experiências na indústria, no varejo, no desenvolvimento de negócios e em liderança sustentável. Com passagens por Electrolux, COOP Sweden e Siemens, ela também fez parte do conselho de administração de várias empresas, como ICC, ICA, Swedish Trade Federation e Swedish National Pension Fund.

Já Luciana, também integrante do conselho, atua no setor financeiro há mais de 20 anos e já ocupou cargos no Lehman Brother’s Merrill Lynch e Santander, além de ser sócia fundadora de duas empresas do ramo financeiro: Virtus BR Partners e STK Capital.

O grupo Cosan – holding que atua por suas subsidiárias nos setores de energia e logística – comemora também o selo recebido de uma outra subsidiária sua, além da Raízen: a Rumo.

A Rumo, do ramo de logística, atualmente conta com três mulheres conselheiras, de um total de nove membros.

É um marco a ser comemorado diante do fato da liderança das empresas do grupo Cosan ainda ser predominantemente masculina. 

Isso indica uma tendência de mudança real, embora ainda em seus primórdios. Segundo a empresa, a liderança do grupo está comprometida com todas as formas de diversidade e inclusão.

“A chegada de duas mulheres em nosso conselho de administração, com toda a experiência que elas carregam, nos aproxima do nosso propósito de redefinir o futuro da energia”,

afirma Paula Benevides, vice-presidente de Desenvolvimento Humano Organizacional da Raízen.

Uma prova do valor da presença de mulheres nas lideranças – e em geral – é o sucesso de muitas startups formadas por equipes bem mais diversas do que empresas tradicionais. Outras empresas também vêm trazendo projetos sobre isso. Um deles, inclusive, é uma das metas divulgadas pela XP Investimentos recentemente que consiste em, até determinada data, ter 50% dos funcionários sendo mulheres. Além disso, há ainda o Nubank, que recentemente incluiu a cantora e empresária Anitta em seu conselho administrativo. 

Inscreva-se na nossa newsletter!