Queda das criptomoedas traz prejuízo de US$750 milhões para traders

Bad day for traders
Tecnologia por trás do bitcoin pode reduzir danos ambientais, dizem especialistas

As criptomoedas tiveram dois dias de quedas consecutivas muito por conta da crise da bilionária Evergrande na China que além de ser um dos fatores para derrubar as criptomoedas foi um fator para deixar as bolsas do mundo todo no negativo no começo da semana.

Segundo a plataforma de derivativos Bybt, 123.082 traders tiveram um prejuízo somado de mais de 4 bilhões de reais. Um caso maluco foi de um usuário anônimo que perdeu US$10 milhões em uma única operação. Como já é de se esperar, a maior parte das liquidações aconteceu em Bitcoin seguido por Ethereum. 

Risco ao assumir posições alavancadas

Grande parte desses traders que somaram uma perda de mais de R$4 bilhões estavam em posições alavancadas. Isto significa que o investidor já entra em uma posição de mais risco porque ele empresta criptomoedas para ampliar o tamanho de sua posição e ganhar ainda mais acreditando que seus lucros irão cobrir tudo isso. 

Porém, nem tudo nessa vida são flores. Esse tipo de operação é altamente arriscada, porque caso aconteça o oposto do que o investidor de posição alavancada acredita ele acaba perdendo muito mais.

O que aconteceu então?

Quem comprou criptomoedas recentemente compou com a esperança que de fato elas teriam um “boom” muito rápido, porém o que aconteceu na prática foi que traders alavancados não se deram bem já que por dois dias consecutivos as criptmoedas viveram dias de pesadelo.

Você também pode curtir: B3 oferece curso gratuito de criptomoedas

Inscreva-se na nossa newsletter!