Meta sofre pressão do Reino Unido para vender a Giphy e evitar “monopólio de GIFs”

Governo do Reino Unido faz pressão na Meta pra vender a empresa de GIFs, Giphy e evitar monopólio de GIFs.

Falem bem ou falem mal, mas falem de mim, esse é o lema de Mark Zuckerberg. Após causar alvoroço no mundo todo anunciando a mudança de nome de Facebook para “Meta” tendo em vista a criação do Metaverso, o fundador do Facebook agora sofre pressão para vender a Giphy.

O que é a Giphy?

A Giphy é uma plataforma e um mecanismo de busca específico de GIFs que permite que os usuários achem e compartilhem GIFs. 

A Giphy foi comprada em 2020, na época pelo Facebook, por US$400 milhões para ser integrado nas DMs do Insta. Ia ser só gif de coração pra lá, gif do Neymar para morena pra cá, uma loucura. 

Caso você nunca tenha usado a Giphy, você não tem dimensão do poder que ela tem. Em 2017, a plataforma superou a marca de 200 milhões de usuários e se consolidou como o “Google dos GIFs”.

Por que o Reino Unido quer que a Meta venda a Giphy? 

Esse é um movimento de grandes nações para evitar que as Big Techs sejam verdadeiros “monstros” e monopolizem seus mercados de atuação. 

As Big Techs são: Meta, Amazon, Microsoft, Google, Apple e essas empresas estão penando na mão dos governos do mundo todo que buscam regular as aquisições e atividades dessas empresas.

“Depois de consultar empresas e organizações interessadas – e avaliar soluções alternativas apresentadas pelo Facebook – o CMA concluiu que suas preocupações com a concorrência só podem ser resolvidas com a venda da Giphy por completo a um comprador aprovado”, disse o CMA em nota.

Long story short…

O Reino Unido quer que alguém bata de frente com a Meta, então quer exigir a venda da Giphy para aos poucos ir diminuindo o “monopólio” que tanto o Zuck tem no mundo das redes sociais, quanto as outras Big Techs. 

Inscreva-se na nossa newsletter!