Mastercard cria programa para startups de criptomoedas e blockchain

O programa de aceleração Start Path ganha nova edição focada em ativos digitais. O futuro chegou e você nem viu
mastercard-bitcoin-criptoativos

A Mastercard acaba de lançar, na última terça (27), um programa de aceleração focado em startups que estejam ligadas aos ativos digitais e criptomoedas.

Pra quem pensou que era modinha, melhor repensar. Esse mercado está ganhando cada vez mais espaço!

Trata-se da nova edição do programa de aceleração Start Path, que foi criado em 2014 para startups em geral e já teve mais de 250 empresas participantes. Dessa vez, o foco é apenas nos criptoativos e blockchain.

E pensa num crescimento! Segundo o CoinMarketCap, o mercado das criptomoedas e outros ativos digitais está com valor de mercado global próximo aos US$ 1,5 trilhão (o que dá cerca de R$ 7,7 trilhões, na cotação atual).

Ao redor do mundo, são sete empresas participantes da nova edição do programa da Mastercard. Lembram dos NFTs (Non Fungible Tokens, que significa token não fungível)? Uma das startups é focada nisso.

O que são NFTs?

Basicamente são ativos digitais únicos, (ou seja, não podem ser replicados digitalmente, que é onde existem) e verificáveis que são negociados pela blockchain.

É graças a essa tecnologia que um NFT, no caso, possui dados que representam algo único (ou escasso, pelo menos), que permite a quem compra dizer que aquele ativo é de sua posse.

Neste segmento, a empresa Mintable, de Singapura, é uma das participantes. Trata-se é um marketplace de NFTs, no qual os usuários podem criar, vender e comprar ativos digitais e físicos por meio de blockchain.

Outra participante de Singapura é a STACS, que fornece uma infraestrutura de blockchain para o setor financeiro, que possui clientes e parceiros como bancos globais e bolsas de valores ao redor do mundo.

Da Suíça, as participantes são a SupraOracles, que ajuda empresas a conectarem dados do mundo real a cadeias públicas e privadas, e a Taurus, que fornece infraestrutura corporativa para gerenciar qualquer ativo digital por meio de uma única plataforma integrada – desde a emissão até a negociação dos tokens.

Dos EUA, são duas:

  • Donamin Money, que é uma startup que busca construir uma plataforma de investimento de última geração, integrando ativos digitais à finanças tradicionais para investidores do varejo
  • Uphold, que combina uma plataforma que conecta a um mercado global os pagamentos para serviços financeiros, buscando fornecer um acesso transparente e seguro no futuro.

Já de Israel, há a GK8, uma plataforma de cripto custódia que oferece basicamente um “cofre isolado”. A startup possui uma ferramenta que cria, assina e envia transações seguras de blockchain, eliminando possibilidades de ataques cibernéticos.

As empresas escolhidas para o programa poderão se conectar ao ecossistema de bancos, lojistas e outros parceiros da Mastercard em todo o mundo, como forma de ajudar a melhorar os processos da companhia.

A Mastercard afirmou ainda que buscou startups de crescimento rápido no campo dos criptoativos, blockchain e ativos digitais e encontrou o que buscava nas empresas escolhidas. 

O futuro chegou e você nem viu!

Inscreva-se na nossa newsletter!