Início » Negócios » Magalu comprou 22 empresas desde 2020

Magalu comprou 22 empresas desde 2020

Aposto que você já tinha se perdido nas contas
Magali adquire 22 empresas
Divulgação

Magalu é a nova Magalu! 🤯  Ô empresa que não para de se reinventar, viu?!

Desde 2020, o Magazine Luiza já comprou 22 empresas e as aquisições seguem a todo vapor! 

A lista inclui desde sites de conteúdo, e-commerces, empresas de logística e tech, publicidade, moda e beleza até as fintechs. A abrangência não é pequena, não, meus amigos!

Vamos ver este histórico?

Para começar a lista, em fevereiro de 2020, logo antes da pandemia, a varejista adquiriu a Estante Virtual por R$ 31 milhões, com objetivo de diversificar os produtos nos canais de vendas.

Em junho de 2020, a HubSales foi a aquisição da vez. Para quem não conhece, esta é uma plataforma de e-commerce voltada ao setor de calçados e confecções, além do marketing.

Em agosto, houve 4 aquisições! A primeira delas foi o CanalTech, integrado ao MagaluAds. Em seguida, as compras da vez foram a Stoq, que é desenvolvedora de sistemas, e a Betta, que cria aplicativos para celulares. Além disso, a Magalu adquiriu ainda a InLocoMedia, de publicidade e mídia. 

Seguindo para setembro do ano passado, a integração foi com o Aiqfome, startup de delivery de comida do Paraná – que antes da aquisição já beirava movimentar R$ 1 milhão ao ano.

Em outubro de 2020, tivemos a compra da GFL, empresa de logística e comércio de eletrônicos e da Sinclog, fornecendo tecnologia para isso. Além dessas duas, a gigante do varejo também adquiriu a plataforma de ensino ComSchool.

Em dezembro do mesmo ano, a fintech Hub se juntou ao portfólio da Magalu, também pensando em integrar novas funcionalidades ao app. Fundada por Carlos Wizard, a fintech já contava com cerca de 4 milhões de contas antes da negociação.

A chuva de aquisições em 2021 começou em março com a VipCommerce, que apresenta um sistema para redes de supermercado e abrange 18 estados do Brasil. No segmento de moda e beleza, o Magazine apostou na Steal The Look

Além disso, se você ainda está achando pouco, a varejista comprou ainda as empresas ToNoLucro e GrandChef, focados no delivery de alimentos.

Abril seguiu com a compra da startup SmartHint, que usa inteligência artificial para facilitar as buscas em e-commerces, e a aquisição do site Jovem Nerd, de produção de conteúdo na internet.

Chegamos a junho deste ano com as aquisições da Bit55, processadora de crédito na nuvem e emissora de cartões. Além disso, houve ainda a compra do app PlusDelivery, do Espírito Santo, e da startup Juni, especialista em otimização de taxa de conversão.

Já em julho, veio o grande KaBuM!, por meio de uma transação bilionária para a plataforma de comércio eletrônico voltada para tecnologia. A varejista fez ainda a aquisição da Sode, que já prestava serviços ao Magalu e faz entregas super-rápidas em até uma hora.

A diretoria do Magazine Luiza afirmou ano passado que pretende investir em três frentes: produtos de supermercado, delivery de comida e moda e beleza.Por trás de tantas compras, incluindo negócios bilionários (como a compra da Kabum!) – há a estratégia do negócio de se tornar um ecossistema de negócios para todos os seus clientes – tanto os consumidores quanto os varejistas que usam o marketplace do Magalu para vender seus produtos. Alô, Amazon?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp