Havan adia IPO novamente

Empresa afirmou em nota que pretende voltar em momento oportuno
havan

 “Véio da Havan” ataca novamente? 

A Havan decidiu, pela segunda vez, suspender seu IPO (sigla em inglês para Initial Public Offering, que significa Oferta Pública Inicial), ou seja, sua abertura de capital na bolsa de valores.

Segundo a empresa, a decisão é “por ora”, sendo que pretende retomar a oferta em um momento oportuno.

Ontem (23), segundo a CVM (Comissão de Valores Mobiliários), o pedido do IPO aparecia como “indeferido” em seu portal, sendo que a decisão foi voluntária.

“A companhia, por ora, adia a intenção de realizar sua Oferta Pública Inicial de ações, que será retomada em momento oportuno e devidamente informada ao mercado”.

afirmou a empresa em nota

A primeira vez que a empresa entrou com pedido de IPO foi em agosto do ano passado (2020), buscando uma avaliação em torno de RS100 bilhões, segundo a Exame.

A operação foi suspensa 2 meses depois, sendo então retomada em março deste ano (2021) em busca de uma avaliação de cerca de R$ 70 bilhões, sendo que as estimativas beiram os R$ 45 bi.

Os especialistas afirmam que o modelo de negócios da Havan é extremamente rentável, gostem as pessoas ou não de Luciano Hang – nosso polêmico e carinhosamente apelidado “Véio da Havan”.

Os problemas principais apontados, no entanto, estão na governança e numa possível excessiva dependência da figura de seu controlador – conhecido por ser um grande defensor do presidente Jair Bolsonaro, além de dúvidas sobre a transparência da empresa e informações presentes na área de relações com investidores (RI).

Quanto à governança da empresa, ainda há muito a ser feito em relação a outras empresas de capital aberto: fatores como os membros do conselho serem no mínimo 5, sendo que não pode conter o presidente executivo, não são respeitados. No conselho da Havan há 3, sendo que um deles é Hang. 

Inscreva-se na nossa newsletter!