Fleury é alvo de ataque cibernético e sistemas do grupo caem

Sistemas da rede de laboratórios ficam fora do ar devido à invasão [mas soluções de contingência foram tomadas].
Sede da Fleury-Prédio com janelas de vidro

Adm Explica

Todo dia isso, bicho? Todo dia não, mas já é o segundo neste mês.

Um ciberataque aos sistemas do grupo Fleury, rede de laboratórios e medicina diagnóstica, deixou os sistemas fora do ar na tarde de ontem. Segundo a empresa, todas as medidas de solução de contingência foram tomadas para minimizar os impactos

O ataque foi do tipo “ransomware”, que bloqueiam o acesso a sistemas e criptografam informações de quem recebe o ataque.

No começo deste mês, o mesmo código malicioso foi identificado no ataque à JBS – que pagou US$ 11 milhões em Bitcoins para liberar as operações em alguns países como Austrália, Canadá e EUA e também para preservar as informações retiradas dos bancos de dados da empresa pelos invasores.

A Fleury ainda explica que seguiu seus protocolos de segurança em busca de manter o atendimento aos clientes funcionando e minimizar os impactos. Segundo a companhia

“o foco é mitigar os efeitos causados, bem como avaliar a extensão do incidente”. 

Fleury

As tentativas de ciberataques no Brasil foram próximas a 3,2 bilhões no primeiro trimestre de 2021, segundo a empresa de cibersegurança Fortinet. Esse número representa o dobro do primeiro trimestre do ano anterior.

No ataque à Fleury, segundo o Valor, os invasores utilizaram uma tática conhecida por “movimento lateral”, que explora falhas mais simples em contas mais comuns dos usuários até que consigam alcançar os administradores e suas contas.

Inscreva-se na nossa newsletter!