Brasil interrompe exportação de carne bovina para a China

Ministério da Agricultura toma a medida respeitando protocolo entre os dois países
bovino

Lembram semana passada da suspeita do caso de um caso da doença da vaca louca em Minas Gerais?

No final de semana, ele foi confirmado e diante disso o Ministério da Agricultura suspendeu as exportações de carne bovina para a China  – e ainda não se sabe até quando. A última vez que o Brasil teve um caso – em 2019 – a suspensão foi por 13 dias.

Os dois casos confirmados são chamados de “atípicos”. Isso porque o animal desenvolveu a doença espontaneamente, por velhice e não por contágio de outros animais.

A medida, que entrou em vigor no sábado (4), atende a medidas sanitárias do protocolo entre o Brasil e a China quanto à detecção da doença.

Trata-se de uma doença degenerativa que ataca o sistema nervoso e o animal começa a se comportar de maneira agressiva.

 

O perigo é que a doença pode ser transmitida a humanos pelo contato ou consumo de carne infectada.

Assim, o Ministério da Agricultura tomou a decisão de suspender as exportações antes que a China se manifestasse quanto a isso.

Mais da metade das exportações de carne bovina pelo Brasil vão para a China, segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos. Diante disso e de um setor que já estava meio frágil antes da notícia ser confirmada, pode ter o preço da arroba caindo ainda mais.

Vale dizer, também, que os animais estão isolados e todos os protocolos sanitários de segurança estão sendo seguidos para não acontecerem novos casos da doença.

O Ministério se manifestou em nota:

“Os dois casos de EEB (Encefalopatia Espongiforme Bovina, nome técnico do mal da vaca louca) atípica - um em cada estabelecimento - foram detectados durante a inspeção ante-mortem. Trata-se de vacas de descarte que apresentavam idade avançada e que estavam em decúbito nos currais”

As autoridades, portanto, afirmaram que não há risco para a saúde humana e animal neste momento. 

Adm

E aí, vai rolar churrasco ou não no feriado?

Inscreva-se na nossa newsletter!