Início » Negócios » Atletas brasileiros podem ganhar até R$ 250 mil por medalha nas Olimpíadas

Atletas brasileiros podem ganhar até R$ 250 mil por medalha nas Olimpíadas

Cingapura lidera a lista de melhores pagamentos por medalha nas Olímpiadas
italo-ferreira-segurando-medalha-ouro
Foto: Jonne Roriz

As Olimpíadas estão pegando fogo lá em Tóquio! Inclusive, o Adm está escrevendo este texto de madrugada assistindo Brasil nas Olimpíadas.

Com os atletas dando seu melhor, sempre fica aquela curiosidade de “Será que eles ganham por medalha?” ou Cada país tem premiações diferentes?”

A resposta é: cada país tem uma premiação própria e as premiações são diferentes para medalha de bronze, prata e ouro. Para o surfista brasileiro Ítalo Ferreira, que ganhou ouro, por exemplo, a premiação do Comitê Olímpico Brasileiro é de R$ 250 mil. 

Rayssa Leal, skatista de 13 anos que conquistou a medalha de prata, ganhou R$ 150 mil e o judoca Daniel Cargnin, que conquistou medalha de bronze, levou R$ 100 mil para casa.

Esse dinheiro seria uma boa para investir, né?! Aqui na The Compass já falamos sobre como começar a investir seu dinheiro.

Uma outra curiosidade é que o dinheiro é por medalha. Então, são valores cumulativos, o que faz com que os atletas que disputam diferentes modalidades do esporte queiram ganhar ainda mais.

Os países que mais pagam bônus para os atletas são curiosamente os que têm menos tradição em Olimpíadas e que não tem tanto destaque nos esportes. O top 3 dos países que mais pagam os atletas são: 

  1. Cingapura, com US$ 737 mil ouro, US$ 369 mil prata e US$ 184 mil bronze;
  2. Cazaquistão, com US$ 250 mil ouro, US$ 150 mil prata e US$ 75 mil bronze;
  3. Malásia, com US$ 236 mil ouro, US$ 71 mil prata e US$ 24 mil bronze.

Além do dinheiro, muitos comitês olímpicos ainda disponibilizam bolsas de estudo, planos de saúde, imóveis e um amplo suporte aos atletas.

Também vale a leitura: Celebridades brasileiras estão entrando no mundo dos negócios

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp