Ambev é a empresa do Brasil que mais faz negócios com startups, diz estudo

Nem só de cerveja vive a Ambev. Entenda o conceito de inovação aberta
Ambev lucra R$ 3,71 bilhões no 3° trimestre; ações disparam

Quem aí nunca viu um hackathon da Ambev?

A empresa foi intitulada como aquela que mais praticou inovação aberta no país em no ano de 2020, segundo a plataforma pioneira e líder em inovação aberta na América Latina chamada 100 Open Startups.

Junto a ela, empresas como Nestlé, BMG e BASF também foram ranqueadas no top 5 da lista Ranking Top Open Corps 2021.

O que é inovação aberta?

 

O conceito de Inovação Aberta (ou Open Innovation) quebra o paradigma tradicional de inovação, que usa uma estrutura vertical e com pesquisas apenas internas, por exemplo.

Diante de novas soluções conectando inovação ágil oriundas de startups, a Ambev não ia deixar passar, né?

A ideia de inovação aberta é realmente abrir a inovação para que haja colaboração entre pessoas, empresas e até órgãos públicos na criação de novos projetos – sejam produtos, serviços ou o que fizer sentido para a companhia.

Para empresas tradicionais é uma quebra, já que as pesquisas para produtos ou projetos novos geralmente eram “guardadas a sete chaves”.

Hoje, sabemos o valor de uma ideia, né? Ele está, na verdade, em colocá-la em prática.

Para quem curte ver direto da fonte, o conceito foi criado pelo professor Henry Chesbrough, professor de Berkeley nos EUA e autor do livro “inovação aberta” e sua definição em suas palavras foi:

“inovação aberta é o uso de fluxos de conhecimento internos e externos para acelerar a inovação interna e expandir os mercados para o uso externo de inovação, respectivamente"

 

A empresa se posiciona com muito orgulho pelo reconhecimento no ranking, voltando os olhos aos parceiros que, segundo a Ambev, também seguem com a missão de trazer soluções cada vez mais personalizadas para o ecossistema da empresa.

“Nosso ecossistema de startups foi e continua sendo fundamental para que a gente traga inovação para todo o nosso negócio"

CTO da Ambev, Eduardo Horai

O ranking mostra que parte significativa dos acordos de open innovation do último ano trazem recursos das grandes empresas para as startups, com contratos em média de R$ 140 mil no ano passado até R$ 270 mil neste ano.

A Ambev, além disso, também se destacou na categoria de Bens de Consumo e Alimentação.

 Horai ainda acrescentou:

“A Ambev vem passando por um verdadeiro processo de transformação de negócio e de cultura. Cada vez mais, vemos na tecnologia uma fortaleza para solidificar nosso mercado…”

Para quem não conhecia, o Ranking Top 100 Open Corps 2021 faz parte do Ranking 100 Open Startups e 2021 será sua 6ª edição.

Neste ano haverá 25 categorias de mercado, sendo que as startups mais atraentes para o mercado corporativo serão anunciadas em outubro.

A importância disso para a sociedade é que com empresas buscando mais startups, o mercado fica mais competitivo, surgem mais programas de inovação e mais oportunidades para que empresas – inclusive de porte médio ou pequeno – também busquem inovação

Isso só melhora o ecossistema empreendedor no Brasil. Boa, Ambev!

Inscreva-se na nossa newsletter!