Acionista do Itaú irá receber BDRs da XP

Conclusão da saída do Itaú do capital da XP

A XP irá negociar na B3 seus BDRs (Brazilian Depository Receipts) que nada mais são que certificados que representam as ações da corretora listada na NASDAQ.

Essa cisão entre as duas gigantes brasileiras foi decidida pelo Itaú no ano passado. Então, oficializando agora e vindo para a prática, 90 milhões de títulos da XP serão negociados na Bolsa Brasileira.

Tendo por base o valor das ações da corretora fundada por Guilherme Benchimol na sexta-feira, os BDRs representam mais de R$20 bilhões.

Impacto no seu bolso, acionista

O Banco Itaú informou que, considerando que as ações emitidas pelo Itaú Unibanco serão negociadas a partir de hoje que representam a parte do investimento do banco na corretora as ações ordinárias e preferenciais de emissão da Companhia irão sofrer um ajuste de -18,69% e -17,54% respectivamente. 

Relação entre XP e Itaú

Apesar de parecer um “casamento” que seria perfeito, a relação entre a XP e o Itaú sempre foi delicada e já chegou a rolar farpas entre Benchimol e Carlos Formigari, diretor-executivo do Itaú Unibanco sobre as taxas de bancos tradicionais.

Além disso, em 2019 o Itaú fez uma propaganda atacando diretamente corretoras, acusando os analistas de indicarem produtos que ganhavam mais comissão.

Você também pode curtir: Boletim Focus: Projeção para a inflação subindo pela 26ª semana seguida

Inscreva-se na nossa newsletter!