Início » Investimentos » Vitreo lança primeiro fundo exclusivamente direcionado para o metaverso

Vitreo lança primeiro fundo exclusivamente direcionado para o metaverso

Fundo tem ações da Meta, Roblox e criptomoedas
homem falando no celular sobre fundos de investimentos
Imagem: Shutterstock

Eles estão deixando a gente sonhar!

A corretora de valores Vitreo lançou o primeiro fundo do Brasil que investe exclusivamente no metaverso. O fundo conta com criptomoedas ligadas a NFTs, além de jogos play-to-earn. 

O Metaverso está chegando? 

Antes de mais nada, o metaverso, que é um ambiente virtual capaz de replicar a vida real, parece dar sinais de que vai mesmo acontecer. 

Contudo, a tecnologia que essa nova realidade exige ainda não foi completamente desenvolvida. Ainda assim, o mercado de ações segue fervendo. 

Terrenos virtuais vendidos por US$ 100 milhões, iates por R$ 3,6 milhões, por exemplo, dão sinais claros de que pelo menos no plano econômico o metaverso está vivíssimo. 

E o que significa o fundo que a Vitreo criou?

De forma antecipada, a corretora futurista criou um fundo de investimentos só com ativos ligados ao metaverso. 

Relembrando, fundo de investimento é uma modalidade que reúne diferentes aplicações financeiras. Pense em uma sacola cujo conteúdo são ações de diversas empresas. 

No entanto, esse fundo é administrado por um gestor profissional. 

Com isso em mente, a Vitreo lança seu fundo voltado inteiramente para ativos que vão dinamizar a economia no metaverso. 

Assim como no Brasil nós temos o real e o país da Lady Gaga tem o dólar, o metaverso vai precisar da sua moeda também. Ou, das suas moedas. 

E o que tem dentro dessa sacola que a Vitreo lançou? 

O fundo recebeu o nome de “Vitreo Metarverso Ações FIA BDR Nível l”. O aporte inicial é de R$ 1.000,00. 

Primeiramente esse fundo é composto por BDRs (Brazilian Depositay Receopts), recibos que representam ações de empresas gringas. São elas: Meta, Roblox, Nvidia, entre outras. 

Todas empresas que trabalham para implementação do metaverso. Juntas elas corresponderão a 20% do valor investido. 

Ainda, 10% da carteira se destina a criptomoedas relacionadas as NFTs (tokens não fungíveis) e jogos play-to-earn, que são jogos que pagam recompensas aos jogadores. 

O que sobrar segue para BRDs emitidas no Brasil, já que essa é uma exigência da CVM, órgão que regula o mercado financeiro. 

Além do valor inicial para investir, os interessados nesse fundo pagam uma taxa de administração de 0,9%  ao ano e de 10% de performance do gestor. 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp