União Europeia planeja emissão conjunta de títulos de dívida

Ideia é financiar gastos provocados pela crise na Ucrânia
moedas da União Europeia

Já pensou em comprar títulos da Alemanha, Suécia, Dinamarca e outras potências, de uma lapada só? A União Europeia planeja emitir de forma conjunta títulos de dívida pública dos seus países participantes.

Não brinca! É sério?

De acordo com servidores envolvidos no projeto, a ideia pode ser lançada ainda nesta semana após a reunião emergencial da cúpula de líderes da União Europeia. 

Já que os detalhes ainda não foram acertados, o investidor vai ter que esperar um pouco para entender como isso será, e quanto poderá ganhar.

Por enquanto, o que se sabe é que o plano é financiar os gastos com energia e defesa, dada a guerra na Ucrânia. 

Isso porque, como você já sabe, os países da União Europeia dependem muito do petróleo e do gás natural da Rússia, que anda um pouco ocupada trocando tiros com sua vizinha, a Ucrânia. 

Assim, para lidar com os prejuízos financeiros, a aposta é emitir conjuntamente títulos de dívida. 

O que isso significa?

Significa, chuchuzinho, que a União Europeia precisa de dinheiro emprestado. Então, ela lança títulos de dívida, ou seja, papéis que são vendidos com a promessa de que no futuro seus compradores receberão aquele valor emprestado com acréscimo de juros. 

Logo, uma emissão conjunta desses títulos significa dizer que o investidor que adquirir um único papel estará investindo de uma vez no tesouro de 27 países da Europa. 

Chega no ouvidinho da morena(o) e diz que emprestou dinheiro para a Alemanha. Ela(e) arrepia. 

Ainda, esses rendimentos serão pagos com a moeda estrangeira, como o euro, que vale R$5,54. Gostou, não é, danado?

E como fica o tesouro brasileiro?

Uma gigantesca emissão de títulos rendendo em uma moeda valorizada pode fazer com que investidores que emprestam dinheiro para o cofrinho brasileiro, optem por emprestar para a União Europeia. 

Contudo, o tesouro direto recentemente começou a oferecer até 12,39% de juros para quem investir no cofrinho verde e amarelo.  Será que isso basta?

Inscreva-se na nossa newsletter!