ROE: o que é, pra que serve e como calcular o indicador

ROE-Retorno-Sobre-patrimônio

Se você que está acostumado com o mundo de investimento, provavelmente já ouviu falar nas siglas ROE, ROI, ROIC e diversas outras (se você não está acostumado, aproveita para colar com a gente e já aprender aqui) para os indicadores de uma análise fundamentalista, por exemplo.

O mais comum é que, nesse contexto, as pessoas procurem saber sobre os lucros da empresa – afinal, é o que todos buscam, não?

Adm

O que acontece é que existem outros indicadores tão importantes quanto o lucro e que podem, inclusive, ajudar a determinar os rumos que o resultado do lucro tomará. Um desses, adivinha qual é?

Estamos falando do ROE, retorno sobre patrimônio líquido, que é uma métrica muito importante para qualquer empresa.

Ele indica que os recursos estão sendo utilizados da melhor forma possível – ou seja, gerando valor e multiplicação de capital.

O que é ROE?

ROE, da sigla Return On Equity, significa Retorno sobre o Patrimônio Líquido. Vale lembrar que patrimônio é diferente de lucro ou de investimentos. 

Vamos, antes, definir melhor o que é o patrimônio líquido:

O que é patrimônio líquido?

Quando falamos de uma empresa, o patrimônio líquido representa o resultado da soma de todos os recursos que a empresa tem liquidados, ou seja, o dinheiro em caixa, valor investido pelos acionistas e outros bens.

Já olhando sob a ótica dos investimentos, patrimônio líquido é o valor total das aplicações, com o aporte inicial e o quanto aquilo rendeu para você ao longo do tempo. Além, é claro, de seus bens, como imóveis, carros e equipamentos.

  • No caso de recebimento de dividendos ou rendimentos, eles só entram na conta caso sejam reinvestidos, não resgatados!

Agora, voltando ao ROE:

De maneira prática, olhando para o próprio nome, o ROE de uma empresa é medido pelo seu lucro líquido nos últimos 12 meses, dividido pelo patrimônio líquido . É o que cada real aplicado pelos investidores traz em remuneração a eles.

Já quando estamos falando de lucro líquido, no entanto, trata-se da medida de todos os rendimentos menos os custos da companhia.

Pra que serve o ROE

Bom, é o retorno que indica, basicamente, se o que você está fazendo está trazendo resultados na prática. 

Com o ROE, você consegue observar se a aplicação dos recursos que da empresa tem sido eficiente e se está gerando valor e lucro.

Assim, a métrica ajuda a esclarecer qual o retorno percentual que a empresa tem a partir dos recursos que ela acumulou e tem disponíveis.

Além disso, sob a ótica dos investidores, a análise do ROE vem por meio de uma fórmula que praticamente traduz a rentabilidade da empresa a ser analisada. Isso significa que ele já pode saber o retorno médio que a empresa lhe oferecerá caso ele se torne um acionista.

Por isso, o ROE torna-se importante ao comparar a rentabilidade de uma empresa com a outra e, por meio dessa comparação, determinar qual poderá te trazer a maior vantagem.

E é claro que isso não vale apenas para ações: títulos públicos, privados e outras aplicações no mercado também podem receber a mesma análise e mostrar o quanto do dinheiro aplicado pode voltar para o investidor.

Assim, quanto maior for o ROE, mais eficiente tem sido o uso dos recursos da empresa.

A performance da companhia, portanto, passa a ser um fator importante no ROE e que também é refletida por este número.

Como calcular o ROE

A fórmula utilizada para o cálculo do ROE é:

  • ROE = (Lucro líquido / Patrimônio Líquido)*100%

Portanto, ela depende do lucro líquido, que é o acumulado nos últimos 12 meses (ano fiscal), e do valor do patrimônio líquido da empresa.

O primeiro passo é o lucro líquido, que pode ser encontrado com o retorno total que a empresa (ou o investimento) trouxe.

Adm

Vale lembrar: o valor do lucro líquido é calculado depois do pagamento de dividendos para acionistas (ações preferenciais) e antes dos dividendos para aqueles que têm ações ordinárias. Hmm, não lembra o que são essas ações? Pois siga lendo, gafanhoto

O que são ações preferenciais ou ordinárias?

Ações ordinárias (ON) são terminadas com o número 3 (BIDI3) e dá ao acionista direito a voto nas assembleias da empresa. 

ações preferenciais (PN) são aquelas em que o acionista tem prioridade no recebimento de dividendos e outros proventos e são terminadas com o número 4, como em BIDI4.

O próximo item do cálculo é o patrimônio líquido. Entram na conta as reservas de lucro que a empresa tem, o capital de giro e possíveis fontes de dinheiro que são usadas para manter os negócios rolando.

  • Agora é só calcular, lembrando que o valor vem em porcentagem e ele representa o percentual do retorno sobre o patrimônio líquido da empresa.

Análise do ROE

Como comentamos antes, a análise do ROE permite que saibamos o quão bem os recursos da empresa em questão têm sido usados no sentido de gerar valor e retorno, ou seja, sua eficiência.

  • No caso dos investimentos, o percentual do ROE é basicamente o quão rentável é aquela aplicação.

Quando se compara empresas, vale um exemplo para esclarecer:

Exemplo:

Imagine que você está comparando as empresas A e B, e que o ROE da empresa B é maior do que o da A.

Admitindo que as empresas são do mesmo setor, possivelmente a melhor oportunidade de investimento estará na com o maior ROE.

PS: claro que você deve considerar outras fatores também, como o Dividend yield  da empresa.

emoji nerd

O indicador em questão também norteia o investidor quanto à saúde financeira e o seu potencial de crescimento, afinal, eficiência e boa utilização dos recursos causa isso

Diferença entre ROE, ROI e ROIC

É muito comum confundir, então vamos entender as diferenças entre esses indicadores:

ROE, como vimos, é usado para ver a eficiência de uma empresa para gerar lucros – ou seja, trazer retornos.

Já o ROI, que significa Return on Investment, mostra o retorno sobre o investimento (como o próprio nome diz, o investimento diretamente) tanto de ganho, quanto de perda. Ou seja, é o quanto a empresa ganhou ou perdeu encima de um investimento que fez.

Assim, uma empresa que é lucrativa (ROE positivo) nem sempre terá um ROI positivo.

emoji nerd

Observação do Adm

O ROI, inclusive, é usado para investimentos pontuais em determinados negócios ou projetos da empresa e o retorno sobre eles é o próprio ROI. Pode ser usado, ainda, para campanhas de marketing, pesquisas, aquisições de títulos, etc.

Enquanto isso, o ROIC, que significa Return On Investment Capital, refere-se ao retorno sobre todo o capital investido e contabiliza basicamente o capital da empresa somado com aquilo que também vem de fora dela (financiamentos, empréstimos, etc).

ROE negativo

Existem casos em que o ROE pode dar negativo e é importante analisar o que levou a isso.

Lembram do patrimônio líquido?

Uma gestão ineficiente pode levar empresas a zerarem completamente seu patrimônio, indicando que a empresa não conseguiu direcionar os recursos da empresa de maneira certa.

No caso de um ROE negativo, quer dizer que o negócio não só não obteve lucro como também obteve prejuízo, não conseguindo retornos o suficiente para cobrir seus gastos, por exemplo.

  • Empresas que ficam muito tempo tendo prejuízo podem entrar em processo de recuperação judicial.  Em casos assim, as operações da empresa podem passar a depender do capital de terceiros (como bancos, por exemplo), operando sem ter um patrimônio próprio.

O que é recuperação judicial?

Recuperação judicial é um meio de evitar que a empresa enfrentando dificuldades chegue à falência.

Quando uma empresa solicita a recuperação judicial, ela tem intermédio da justiça para tentar um acordo entre a empresa e todos os seus credoresaqueles a quem ela deve algo – para que ela consiga se reorganizar para pagar seus funcionários, matéria prima e produtos essenciais para o funcionamento do negócio.

Qual o ROE ideal?

Não se tem um número ideal para esperar do ROE, já que essa definição pode depender de muitos fatores.

Alguns desses fatores são:

  • período analisado;
  • o histórico socioeconômico do país;
  • o nível de maturidade da empresa;
  • o contexto do setor e da situação socioeconômica do país;
  • entre outros.

A avaliação do número, portanto, não depende apenas da gestão da empresa e sim de todos esses outros fatores também.

Adm especulativo

De maneira geral, encontra-se boas avaliações de ROE acima dos 15% ao ano, mas lembre-se de que não há regra e isso é uma generalização - ou seja, não se aplica em todos os casos.

Limitações

Como sempre falamos, não se deve analisar um indicador isoladamente. Isso porque o cenário importa: nem sempre faz sentido comparar indicadores de empresas de setores diferentes.

Contextos fiscais (por exemplo) e outros fatores comuns podem interferir nos resultados de todo um setor e podem ser inexistentes para outro.

Assim, falando de ROE, embora ele seja um ótimo indicador para identificar oportunidades de investimentos com retorno bom, ele não deve ser o único a ser analisado.

  • Isso porque o patrimônio líquido, por exemplo, não leva em consideração as dívidas da empresa. Um caso possível é o de uma empresa que pode ter um ótimo ROE e mesmo assim estar endividada.

  • Outra possibilidade é um patrimônio muito pequeno, fazendo retornos médios parecerem expressivos quando se olha para o percentual, sendo que valores brutos também importam, principalmente quando ocorrem emergências e a reserva de lucro da empresa precisa ser usada para sustenta-la.

Ademiro

Agora que você entendeu o que significa ROE e está equipado para não cair em armadilhas de análises isoladas, é hora de ir praticar!

Se você chegou até aqui e ainda não leu nosso artigo sobre EBITDA, está na hora!

Inscreva-se na nossa newsletter!