QuintoAndar capta US$ 300 mi e passa a valer mais de US$ 4 bi

Startup quadruplica sua avaliação de mercado em dois anos.
Sede da Quintoandar

A QuintoAndar anunciou hoje (28) que acaba de fechar uma captação de 300 milhões de dólares. Com isso, o valuation da empresa passa a ser US$ 4 bilhões – que equivalem a mais de 20 milhões de reais.

Ela está se tornando uma das startups mais valiosas da America Latina.

“Adm, o que é valuation mesmo?”

“Valuation de uma empresa” vem do termo em inglês e significa basicamente avaliação de empresas. Ele considera uma série de fatores para estimar o valor real de uma empresa, determinando um preço justo de um ativo – seja para compra ou venda das ações de uma empresa, por exemplo.

A startup, que foi criada em 2013, possui uma plataforma digital de locação de imóveis com um sistema que aprova os locatários com base numa análise de crédito, diferentemente do convencional que seria com fiador ou cobrança de seguro, por exemplo.

Hoje, segundo a empresa, ela faz a gestão de mais de 100 mil contratos em aproximadamente 40 cidades do Brasil.

Em 2020, começaram a trabalhar também com compra e venda de imóveis e afirmam ter mais de 60 mil anúncios publicados.  Eles são referentes a imóveis em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Belo Horizonte. Desde então, segundo eles, já fecharam mais de mil vendas.

Essa rodada é liderada pelo fundo Ribbit Capital, que se localiza no Vale do Silício uma das principais empresas de venture capital que possuem foco no setor financeiro. No portfólio estão algumas das maiores fintechs do mundo, como Nubank, Revolut, Coinbase.

O Presidente e co-fundador da QuintoAndar, Gabriel Braga afirma que pretendem começar a operar no México nos próximos meses. Segundo ele, isso já estava nos planos há algum tempo, mas a pandemia adiou alguns deles.

Sem dar muitos detalhes, ele também afirma que outros destinos da América Latina também estão no radar deles, focando em grandes cidades.

Braga ainda afirma “Embora o setor imobiliário tenha particularidades em cada lugar, acreditamos que os principais problemas e dinâmicas de mercado são bastante semelhantes em toda a América Latina”.

Em 2019 rolou a última rodada de captação de investimentos, sendo que no total, a empresa levantou mais de 600 milhões de dólares. Isso mesmo, dólares!

Rodadas relevantes em startups assim em meio à entrada de tantas empresas de tecnologia na nossa bolsa de valores, a B3, deve-se abrir os olhos para um possível IPO, ou seja, abertura de capital, da Quinta Andar. O Cofundador fala sobre:

“Pensamos eventualmente em realizar um IPO, mas não temos uma data definida. Mas gostamos dos benefícios de termos uma validação pública e mostrarmos mais o que fazemos”, afirma Braga.

A inovação da empresa em compra e venda, ainda de acordo com Braga, precisa passar por inovações em soluções financeiras. “…há muitas pessoas que querem comprar, possuem renda, mas não têm dinheiro para dar de entrada. Pensamos no que poderíamos apresentar de solução para destravar esse processo.”

A dimensão do potencial de crescimento desse mercado do ponto de vista de ganho de liquidez se mostra evidente quando se observa que apenas de 1% a 2% do estoque de imóveis tem giro anual no país.

“Acreditamos que criando novos meios de pagamento será possível destravar o mercado”, diz Braga sobre alguns dos planos para o futuro.

Inscreva-se na nossa newsletter!