Presidente do conselho da Marfrig (MRFG3) acusado de insider

Marcos Molina é acusado de vender as ações da frigorífica enquanto negociava a aquisição da National Beef.
Marcos Molina, presidente do conselho da Marfrig (MRFG3)

Nesta terça-feira (25) a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acusou Marcos Molina, presidente do conselho da Marfrig (MRFG3) de utilizar informações privilegiadas para se beneficiar em transações na bolsa de valores.

Insider trading

O uso de informação privilegiada, também conhecida como insider trading, é ilegal no mercado financeiro.

Essa prática acontece quando alguém se beneficia de informações confidenciais de uma empresa, sabendo que isso afetará o desempenho de suas ações, para aproveitar e lucrar com isso.

O que aconteceu?

Segundo a CVM, o presidente do conselho da frigorífica teria vendido suas ações da Marfrig momentos antes do anúncio da compra da empresa americana National Beef.

O que vai acontecer?

O processo está sendo analisada pela Procuradoria Federal Especializada, mas segundo a apuração do Valor Econômico, a Superintendência de Processos Sancionadores (SPS), também um órgão da CVM, chegou à conclusão de que o executivo realmente estava transacionando suas ações enquanto estava em conversas com a Leucadia, ex-controladora da National Beef.

Claramente, se confirmada essa afirmação, esse ato é caracterizado como insider trading.

O que ele disse em sua defesa?

Como era de se esperar, o presidente negou qualquer acusação. A própria Marfrig divulgou um comunicado sobre o ocorrido, dizendo que na época em que Molina negociava suas ações, o acordo do negócio estava longe de ser concluído.

Inscreva-se na nossa newsletter!