Pirâmide financeira: como identificar e não cair no golpe

Só no ano passado, mais de 170 pirâmides financeiras foram identificadas no Brasil
Comece por aqui
Início » Investimentos » Pirâmide financeira: como identificar e não cair no golpe

Retornos de 10% ao mês, promessas de triplicar o dinheiro aplicado e até rentabilidade garantida em supostos aportes em bitcoins são algumas das características de empresas brasileiras acusadas de pirâmide financeira.

Entre os exemplos mais famosos que fizeram com que muitos brasileiros perdessem dinheiro está a Unick Forex, empresa que ofertava investimentos com lucro garantido, e a Avestruz Master, que oferecia contratos de compra e venda de avestruzes, sendo que nenhuma ave chegou, de fato, a ser abatida (sim, isso realmente existiu!). 

Além disso, recentemente o “Rei do bitcoin”, do Bitcoin Banco, foi preso pela Polícia Federal por suspeitas de pirâmide financeira.

Em comum, estes três esquemas estão relacionados com a Lei 1.521, de crime contra a economia popular. Basicamente, são formas de obter ganhos em detrimento das pessoas, com base em especulações ou fraudes. A coisa é séria mesmo!

Tá, mas o que é uma pirâmide financeira?

Como já deu para notar, as pirâmides financeiras são uma prática ilícita e prometem ganhos altos para os membros de um negócio. Isso ocorre por meio da entrada de novos integrantes. 

No entanto, quando novos aplicadores deixam de entrar, o esquema se torna insustentável. Afinal, não há mais dinheiro suficiente para cobrir os retornos prometidos e ainda tirar o lucro dos criadores do negócio. 

E se você acha que esses esquemas nunca chegarão em você, saiba que não é bem assim!

Somente em 2020, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), responsável por regulamentar o mercado de valores brasileiro, denunciou 175 pirâmides financeiras. O recorde indica alta de 76% na comparação anual e demonstra que esses golpistas estão por toda parte, especialmente no mercado das criptomoedas. 

“Infelizmente, os golpistas viram nas criptomoedas uma oportunidade para esse tipo de golpe, principalmente porque inicialmente o mercado de criptoativos é difícil de ser compreendido e também é muito volátil”, explica o especialista em finanças e CEO da corretora Bitcoin Trade, Bernardo Teixeira, em entrevista à The Compass.

Para evitar que você – e as pessoas ao seu redor – perca dinheiro nesses esquemas, reunimos a seguir as quatro dicas dadas por Bernardo para identificar uma pirâmide financeira. Confira!

1. Quero ver o CNPJ!

Graças à internet, hoje em dia é muito mais fácil ter acesso às informações de uma empresa. 

Justamente por isso, a primeira dica antes de confiar o seu dinheiro a uma companhia é pesquisar bastante sobre ela no Google, conferir o CNPJ para ver se há algum processo envolvendo ela ou seus sócios e checar também as reclamações em sites como o Reclame Aqui

2. Promessa de rendimento? Sei não…

Se você acompanha a The Compass, provavelmente já sabe que investimentos de renda variável não possuem rentabilidade garantida. Afinal, ao contrário de títulos como LCI e LCA, que também já explicamos aqui, a cotação desses ativos pode variar e você pode até mesmo perder dinheiro, caso você venda em um momento de baixa. 

Exemplos de aplicações assim são as criptomoedas, como as famosas bitcoin, ether e dogecoin, as ações e os fundos imobiliários. Portanto, fique esperto!

3. Quem ostenta demais, geralmente não tem nada

Você provavelmente já viu alguém ostentando nas redes sociais e tentando te vender alguma coisa com base na promessa de que você também poderá viver daquele jeito, né? Saiba que esse também pode ser um ponto de atenção!

“Geralmente os golpistas gostam de ostentar, aparecem com carros de luxo, barcos, jóias, e isso é somente para chamar a atenção das pessoas, com o objetivo de vender a imagem de que se ela investir naquela empresa poderá ter uma vida assim”, alerta Bernardo.

4. Tá com tempo de sobra, ein?

Como na dica anterior, as redes sociais são bastante utilizadas pelos golpistas para abordar os possíveis clientes. 

Dessa forma, se você for contatado por uma possível corretora aleatoriamente em seu perfil, como por meio de uma DM no Instagram, por exemplo, isso já é motivo suficiente para desconfiança. Afinal, as empresas confiáveis não costumam utilizar esse tipo de abordagem.

Adm, identifiquei uma pirâmide. E agora?

Primeiro passo: fuja! Isso porque as pessoas que participam de esquemas de pirâmide tendo consciência disso podem responder judicialmente por esse ato. Além disso, você pode não conseguir sair a tempo do esquema e perder todo o seu dinheiro.

É importante também entrar em contato com o Ministério Público Federal para denunciar a pirâmide e evitar que outras pessoas sejam prejudicadas. 

A queixa pode ser feita de forma rápida e anônima, sem preocupações. Para isso, basta acessar os canais de atendimento ao cidadão ou denúncia no site do MPF da sua região!

"Pesquise, se informe e deixe a ganância de lado. Isso é fundamental"

conclui o CEO da BitcoinTrade.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp