Justin Bieber embarca com Neymar e compra NFT por R$ 6,9 milhões

A coleção ‘Bored Ape’ é a queridinha entre os famosos
Justin Bieber ao lado de sua NFT

“Baby, baby, baby, oooooh, like baby, baby, baby, noooo…”. E após o adulto Ney, o Primo Rico, Snoop Dogg e outras celebrites, o cantor canadense Justin Bieber fez a sua aquisição milionária de uma NFT que em reais chega a  R$ 6,9 mi. 

Ah, pronto, NFT virou tendência mesmo? 

Ao que parece, sim. E elas chegaram com força, bebê. Antes de mais nada, só dar aquela pincelada para explicar o que são as NFTs. 

Os Tokens não fungíveis, NFTs, são como carimbos, registros, certificados, você quem escolhe como definir. Esse certificado atesta a propriedade de algo por alguém. 

Caso você tenha um carro, o documento é o seu certificado de posse do veículo. Aqui, as artes digitais são certificadas e essa certificação é a famosa NFT. 

Então, voltando ao Justin, que já mostrou excelente bom gosto ao se casar com uma brasileira, agora adquire uma NFT da coleção mais famosa da atualidade, a Bored Ape. 

Foi dessa mesma coleção que grandes nomes como o ‘rei delas’, Neymar, adquiriu sua peça. Assim, o cantor desembolsou 500 ETH, o que em dólares equivale a US$ 1,3 milhão e em reis 6,9 mi. 

Que coleção é essa que tem feito sucesso?

A Bored Ape são desenhos de macacos entediados que são gerados por um algoritmo. No sistema, o algoritmo fará a combinação de 170 características possíveis de forma aleatória. 

As mudanças envolvem roupas, cores, expressões e acessórios. Assim, algumas delas são mais raras, dadas as poucas combinações de alguns fatores e outras são mais comuns. 

Com isso, pode-se considerar que a arte de Justin é rara, visto que poucos foram os mixes de camiseta preta e olhos tristes, o que faz com que o valor deste token seja maior. 

Em contrapartida, as misturas mais comuns são mais baratas. Entre aspas, não é, coração? Já que a mais em conta custa um pouco mais de R$ 1 milhão. 

Ou seja, Sorry. 

E o que é que eu tenho a ver com isso?

Primeiramente, é compreensível pensar que é loucura gastar milhões em um desenho que você pode ‘printar’, recortar e guardar como papel de parede.

Contudo, caso você queira vender esse seu print, certamente não vai faturar nada. Enquanto isso, um seleto grupo que tem a propriedade dessa mesma arte digital poderá fazer negócios no futuro e levar até o dobro do que gastou. 

Ainda, já imaginou ser você aquele que vai lançar a próxima coleção tendência? Sendo o criador das artes ou o admirador delas, é bom ficar de olho, porque o negócio só cresce. 

Afinal, “Never Say Never”.  

Inscreva-se na nossa newsletter!