Itaú aposta nos tokens e anuncia plataforma inédita

Com a plataforma anunciada hoje (14), o maior banco da América Latina visa abocanhar mercado gigante de tokens
Imagem de celular com logo do Itaú com criptomoedas ao lado, simbolizando o Itaú e tokens

Não tem jeito! Parece que mesmo dividindo opiniões, o universo cripto veio para ficar e, para o Itaú, os tokens são a sua nova nova aposta.

Itaú tokenizado

O Itaú Unibanco, que é o maior banco latinoamericano, anunciou nesta quinta-feira(14) a sua mais nova plataforma para comercialização de tokens. Calma, o ADM, já explica timtim por timtim o que isso significa.

De acordo com o banco, o seu novo ramo de negócios é chamado Itaú Digital Assets, e vem justamente para tratar de ativos digitais. No entanto, a plataforma ainda não foi lançada, mas já conta com previsão de lançamento mais abrangente, até o final deste ano.

Leia mais:

IBC-Br de maio traz novas previsões para o PIB de 2022

Votação da PEC kamikaze reinicia após acusação de sabotagem

O que o Itaú chama de tokens?

Primeiramente, vamos ao início. O Itaú existe, como todos os bancos, para que pessoas, empresas e governos possam ter os seus ativos à disposição, de forma ágil e guardados com a máxima segurança possível. E é claro que os amigos do ADM já sabiam disso.

Mas e onde entram os tokens? Tokens são, nada mais nada menos, que a transformação desses ativos em registros digitais guardados por uma blockchain. Por sua vez, blockchain é um tipo de banco de dados criptografado, protegido contra os maliciosos.

Portanto, com a “tokenização” dos seus produtos, a intenção do Itaú é, primeiramente, trazer aos seus clientes familiaridade com a tecnologia. Nesse sentido, o banco aposta que, em breve, uma expressiva parte de todos os ativos do mercado serão tokens.    

Como será a plataforma?

De acordo com Vanessa Fernandes, líder da nova divisão do Itaú, o banco já fez testes bem sucedidos com alguns ativos. Contudo, quando começar a valer, além de tokenizar e custodiar os criptoativos no banco, a plataforma vai também emprestar a tecnologia a outras instituições. 

No entanto, a plataforma, que foi criada totalmente do zero, segundo Fernandes, ainda não tem previsão para suporte às criptomoedas. Ou seja, os criptolovers que esperavam usar seus Bitcoins no Itaú, ainda terão que mandar suas cartinhas de pedido ao banco.

Inscreva-se na nossa newsletter!