Fundos Internacionais: entenda tudo sobre este tipo de investimento

Notas de dinheiro com ilustrações do típicas do exterior no fundo

Fundos internacionais podem ser uma solução muito interessante para quem busca diversificar o seu patrimônio.

Uma das primeiras coisas que o investidor aprende é a importância da diversificação, que para nós brasileiros tem um poder ainda maior.

Historicamente o Brasil é um país política e economicamente instável.

Adm

adm está bem ciente disso...

Isso faz com que o risco de investir no mercado local seja algo a ser seriamente considerado.

A principal alternativa para mitigar esse risco é expor parte do seu patrimônio a uma moeda mais forte, assim como o dólar, que é o alvo preferido dos investidores brasileiros.

Porém quando se fala sobre investir no exterior ou se expor a outros mercados, as pessoas já pensam em papeladas, documentações, burocracias e várias outras barreiras, mas mal imaginam o quão fácil esse tipo de investimento tem se tornado.

Atualmente, existem inúmeras formas de fazer isso morando no Brasil, sem se preocupar com nenhuma papelada ou burocracia e melhor ainda:

é possível que você consiga fazer isso pela sua corretora.

Quer saber como? Investindo em fundos internacionais.

❔ O que são os fundos de investimento internacionais?

Os fundos internacionais são basicamente fundos de investimentos que alocam parte do dinheiro dos seus cotistas em mercados estrangeiros, seja através de títulos públicos, de câmbio, de cotas de outros fundos etc.

Esses fundos são geridos por profissionais certificados para tal função, porém, mesmo que existam várias pessoas qualificadas por trás de toda a administração do dinheiro dos cotistas, é extremamente necessário que você entenda quais estratégias e filosofias de investimento cada fundo adota.

Isso porque cada decisão do gestor está de acordo com o perfil de investidor indicado.

✔ Quais as vantagens de investir em um fundo no exterior?

🎨 Quais são os tipos de fundos internacionais?

1 – Fundo de renda fixa

Os fundos de renda fixa são compostos por, no mínimo, 80% de sua carteira formada por ativos de renda fixa, o que inclui títulos públicos.

Portanto, esse tipo de fundo pode ter uma parte alocada em renda variável dependendo da estratégia do gestor.

Geralmente o benchmark para esse ativo é o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), tornando-se uma boa opção para quem possui um perfil de conservador ou moderado e que procura alocar parte do seu patrimônio em ativos fora do país.

2 – Fundo de ações

Já os fundos de ações contêm um percentual elevado do seu patrimônio alocado em ações de empresas estrangeiras.

Exatamente por ter a maior parte do portfólio alocado em renda variável, esse tipo de fundo possui um risco maior ao buscar rentabilidades mais elevadas.

Por este motivo, investir nos fundos de ações é mais recomendado para investidores com o perfil mais agressivo ou arrojado, que possuem menor aversão ao risco e que aguentam melhor a volatilidade e as oscilações do mercado.

3 – Fundo cambial

Os fundos cambiais, seguindo a mesma lógica dos fundos de ações, devem manter 80% do seu patrimônio alocado em ativos que estão relacionados à variação cambial, ou seja, a variação de preços de uma moeda estrangeira.

Esses fundos também podem sofrer com a volatilidade e as variações de preços dos ativos que compõem seu portfólio, por isso é importante também refletir o quão disposto para conviver com esse risco você está.

Geralmente, quem se interessa por fundos cambiais são investidores que querem se proteger da subida de preços de alguma moeda, como o dólar, por exemplo. Por isso a alta rentabilidade não é tão priorizada na tomada de decisão deste investimento.

4 – Fundo multimercado

O fundo multimercado é um fundo de investimento que não possui uma “obrigação” de concentração de um tipo de ativo em seu portfólio, podendo adquirir vários tipos de ativos com variados riscos e rentabilidades.

Uma carteira de um fundo multimercado, por exemplo, pode ter ações, títulos públicos, bonds moedas estrangeiras e por aí vai.

Mas claramente essa decisão não vai ser tomada no “uni duni tê”. A ausência de exigências de manter certa porcentagem em uma classe de ativos dá ao gestor uma flexibilidade maior, assim como as suas possibilidades para estruturar uma estratégia que, a partir disto, irá nortear as decisões de alocação do dinheiro dos cotistas.

🤔 Para quem é indicado os fundos internacionais?

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) indica que os fundos internacionais são recomendados para investidores qualificados ou profissionais.

Adm

que?

Calma que vou explicar com mais detalhes…

A CVM é o órgão que tem como objetivo criar normas, fiscalizar e controlar o mercado de valores mobiliários, ou seja, o mercado de ações, derivativos, debêntures etc.

Como uma das funções é de normatizar esse mercado, o órgão criou a Instrução nº 554/14, que nos artigos 9º-A e 9º B existe uma classificação de investidores, sendo eles:

profissionais, para quem possui mais de R$ 10 milhões investidos, qualificados, que têm mais de R$ 1 milhão aplicados e os demais que agregam todos os outros investidores.

Essa classificação existe principalmente para proteger o investidor inexperiente ou iniciante, para que não tome decisões equivocadas no início da sua jornada.

E pelos fundos internacionais estarem relacionados com outros mercados ao redor do mundo, a CVM decidiu recomendar esse tipo de fundo para investidores qualificados ou profissionais.

Porém, isso é apenas uma recomendação do órgão normativo. Não impede de que qualquer investidor coloque o seu dinheiro em um fundo internacional.

Além disso, outro fator que você deve considerar é conhecer o seu perfil, principalmente qual o limite para o risco que você está disposto a se expor. Não adianta focar em rentabilidade, se o alto risco é um problema para você.

Adm

risco é meu nome do meio. Ta tudo em Bitcoin já...rs

📄 Quais os principais pontos para levar em consideração ao investir em um fundo internacional?

Perfil de Investidor

O primeiro de todos foi explicado acima, é entender qual o seu perfil de investidor e quais fundos se adequam às suas características. Não tem sentido ir atrás de rentabilidade apenas e não conseguir dormir à noite pensando nas oscilações, portanto procure fundos que se adequem ao seu perfil.

Estratégia do gestor

Outra informação importante a ser explorada é a estratégia que o gestor adota naquele fundo e se faz sentido para você essa filosofia. Em caso negativo, não tem porque você aplicar o seu dinheiro em algo que não acredita, independente da rentabilidade.

Adm

não quero ver nenhum gestor brincando com meu dinheiro!

Resultados passados

Terceiro fator de suma importância para escolher o fundo ideal para você é buscar os resultados passados do gestor, seja neste fundo, seja em outros caso ele tenha trabalhado anteriormente com outro fundo.

Lembre-se: é ele quem tomará as decisões para você de como o seu dinheiro será alocado. Você precisa, portanto, confiar no trabalho do gestor.

Atente-se às taxas cobradas

Quarto ponto e não menos importante, na verdade, isso é muito importante: verifique as taxas de administração e performance, esse percentual representa a remuneração dos gestores pelo seu trabalho e assim como qualquer mão de obra é necessário colocar na balança para ver se essa remuneração vale a pena, ou se as taxas cobradas são muito caras, isso pode afetar (e muito) a sua rentabilidade.

Entenda a tributação

Parece óbvia essa observação, mas muitos investidores não entendem como funcionam as alíquotas de impostos e ao abrir o aplicativo da sua corretora tomam um susto ao ver os impostos levando parte do seu capital embora, o famoso come-cotas.

Nota: Além disso, lembre-se de escolher bem a corretora para investir, afinal, ela exerce um papel fundamental na negociação de ativos.

Conheça 4 corretoras para investir no exterior e suas principais vantagens e desvantagens, para tornar sua escolha mais assertiva.

Onde posso encontrar fundos internacionais?

Caso você esteja procurando comodidade, pode ser uma boa notícia para você. Muitos fundos internacionais podem ser encontrados na sua própria corretora.

Você pode pesquisar na plataforma da corretora que você é cliente ou mesmo perguntar para um assessor ou suporte da empresa.

Os fundos internacionais possuem uma sigla “IE”, que significa Investimento no Exterior, encontrado no final daquele nome gigante cheio de siglas, como:

Gama Bridgewater Global Risk Premium USD FIC FIM IE.

Lembrando que o fundo citado foi selecionado apenas a título de exemplo, isso não é uma recomendação de investimento.

Considerações finais

Neste artigo, foi possível entender um pouco mais sobre os fundos internacionais, quais tipos existem, como funcionam e até onde encontrar.

Além disso, é bom reforçar a importância de você expor parte do seu patrimônio nos mercados de outros países. Isso irá diluir os riscos envolvendo o mercado nacional.

E mais uma vez, é essencial lembrar que, por mais que investir em um fundo seja uma forma de terceirizar o seu trabalho, você precisa entender como funciona o fundo e quais as estratégias o gestor adota, para saber escolher o melhor ativo para o seu perfil.

Aproveite para visitar nosso artigo onde explicamos tudo sobre o Dow Jones, um dos principais índices americanos.

Adm

adm virou expert em fundos internacionais agora. Vou tomar meu cafezinho e partir para o próximo artigo

Inscreva-se na nossa newsletter!