Investir no exterior: saiba como investir fora morando no Brasil

Comece por aqui
Início » Investimentos » Exterior » Investir no exterior: saiba como investir fora morando no Brasil

Ao contrário do que muitos pensam, investir no exterior está cada vez mais fácil e acessível para o público brasileiro. Muitos investidores esquecem de alguns riscos que correm e menosprezam o impacto de investir fora do Brasil.

"nunca perca dinheiro"

Regra Nº 1 de Warren Buffett

Não precisa ser muito experiente no mundo dos investimentos para perceber o quanto essa regra é óbvia e importante.

A grande dúvida surge em como agir de acordo com essa regra. De fato, não existe nenhum método infalível que te impeça de perder dinheiro, porém existem algumas formas de minimizar os riscos.

Uma dessas formas é a diversificação.

Isto é o título

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Ao diversificar os tipos de ativos que você possui em sua carteira de investimentos, os riscos que você corre serão diluídos. E uma das melhores formas para fazer isso é investindo no exterior.

✅Qualquer pessoa pode investir no exterior?

Sim! 

Não há restrições legais ou regulamentadoras para quem quer se expor a outros mercados. 

Até outubro de 2020, apenas os investidores qualificados, aqueles que possuem mais de R$1 milhão investidos, poderiam investir em BDRs. 

Mas até isso já não existe mais e qualquer pessoa, independente do patrimônio investido, pode negociar este tipo de ativo.

Adm

me fala as ações que já vou investir aqui então parceiro

Mas calma lá…não é porque todo mundo pode, que todos devem investir fora.

Assim como qualquer decisão financeira, principalmente sobre os seus investimentos, você deve atentar-se a dois fatores essenciais: o seu perfil de investidor e os seus objetivos com o seu dinheiro.

Muitas pessoas negligenciam essa etapa e acabam frustradas com os seus resultados sem nem saberem o porquê. Qualquer tipo de investimento possui seus riscos e estratégias, por isso é necessário que isso se encaixe com os seus planos e com a sua própria personalidade de investidor.

💰Preciso ser rico para investir fora?

Durante a vigência dessa regra dos BDRs que foi comentada acima, até poderia dizer que sim, mas como isso não existe mais, a resposta é: definitivamente não.

Adm

ufa...

As formas para se expor a outros países têm ficado cada vez mais acessíveis ao investidor brasileiro e a tendência daqui para frente é melhorar.

Não é necessário ser rico para investir fora, apenas ter disposição para estudar o suficiente para tomar melhores decisões de acordo com a sua própria filosofia de investimento.

💲Quais as vantagens de investir no exterior?

Diversificação

A primeira de todas é exatamente o que discutimos antes, a diversificação.

Muitos investidores se preocupam em escolher ações de empresas de diferentes setores, procuram títulos públicos para alocar parte do seu patrimônio em renda fixa ou mesmo estudam sobre fundos imobiliários para participar desse mercado já consolidado, mas esquecem que todos esses investimentos estão expostos a um risco em comum: o de investir no Brasil.

Nisso se incluem os riscos de instabilidade política, de regulamentações, de tributações etc. A partir do momento em que o investidor se expõe a outros mercados, esses riscos acabam se dissolvendo.

Adm

fugindo do Brasil em 3,2,1...mentira, o Brasil tem esperanças rs

Ao investir apenas em ativos do mercado nacional, você está indiretamente esperando que a economia brasileira irá prosperar mais do que a dos outros países, inclusive dos Estados Unidos. 

Exposição a moedas fortes

Outra grande vantagem de investir em outros países é a exposição a moedas mais fortes do que o real. Não deveria ser novidade para nenhum brasileiro que o grande “inimigo” da moeda local é a inflação, ou seja, a perda do poder de compra.  

Desde 1942 quando Getúlio Vargas instituiu o Cruzeiro, foram 8 moedas criadas em menos de 100 anos até chegarmos ao real em 1994. A título de comparação, o dólar foi aprovado como moeda oficial em 1785, ou seja, mais de 200 anos de existência.

Ao analisarmos o período de janeiro de 1995 até dezembro de 2020, a inflação brasileira atingiu a marca de 447%, uma perda de 6,75% ao ano no poder de compra.

nos Estados Unidos, no mesmo intervalo, a inflação atingiu a marca de 74%, o que resulta em um crescimento composto de 2,15% ao ano dos preços na economia americana.

Variedade e liquidez

Quer mais uma vantagem? Te dou duas: Variedade e liquidez.

Aproveitando os Estados Unidos como exemplo, juntando as duas principais bolsas do país, a NYSE (New York Stocks Exchange) e a Nasdaq, são mais de 6000 ativos listados, – o índice Dow Jones acompanha o desempenho dos principais – entre eles: stocks, REITs, ETFs, ADRs etc. Já a B3, a Bolsa de Valores de São Paulo, disponibiliza em torno de 600 ativos, contando com as ações, fundos imobiliários, ETFs e BDRs.

No Brasil, menos de 2% da população investe na Bolsa de Valores, já nos Estados Unidos, esse número ultrapassa os 55% da população.

🚩Onde investir no exterior? 4 Formas

Investir fora do Brasil está ficando cada vez mais acessível aos investidores. Atualmente já existem diversas alternativas para quem quer ultrapassar as fronteiras com a diversificação. Vamos listar algumas:

1-  BDRs

BDR é a sigla para Brazilian Depositary Receipt, é um recibo de depósito com lastro nas ações da empresa que o investidor compra, portanto, quando você compra um BDR, não é a ação propriamente dita que é comprada, mas um título que representa esse ativo.

É a opção mais popular para investir em ações de empresas estrangeiras e você consegue encontrá-la no home broker da sua corretora, ou seja, não é necessário abrir conta em uma corretora americana. O seu código de negociação, ou ticker, possui 4 letras seguidas do número 34.

Existem também os BDRs de ETFs que possuem o código de negociação com 4 letras também, mas seguidas do número 39.

2-  ETF

ETF é a sigla para Exchange Traded Funds, basicamente é um fundo de investimentos que replica o comportamento de algum índice ou ativo.

Existem alguns ETFs que replicam índices de outros países, por exemplo:

É uma opção para quem quer se expor a outras economias sem precisar aprofundar os estudos sobre as empresas de cada país.

3-  Fundos internacionais

A maneira mais simples de investir no exterior é através de um fundo de investimento internacional.

A dinâmica é idêntica aos fundos locais, os investidores compram as cotas de um fundo, o gestor fica responsável por tomar as decisões de como o dinheiro dos cotistas será alocado e qual estratégia irá aderir para a administração do fundo.

A grande diferença está na exposição a ativos que são negociados fora do Brasil, sejam eles ações, títulos, moedas etc.

É uma boa opção para quem não tem tempo para aprofundar os conhecimentos necessários para tomar decisões ou mesmo para fazer a gestão do próprio dinheiro.

Lembrando que mesmo que os fundos contem com uma equipe profissional para a gestão do dinheiro dos cotistas, é necessário fazer uma análise a respeito da estratégia, qualificação do gestor, entre outras coisas.

4-  Abrir uma conta em uma corretora

Como a maioria das pessoas que decidem investir fora desejam colocar o seu dinheiro em território americano, irei abordar diretamente sobre as corretoras no exterior americanas.

Atualmente está cada vez mais fácil abrir uma conta em uma corretora nos Estados Unidos, existem também empresas especializadas em atender o público brasileiro que quer investir diretamente no mercado americano.

E não, não é ilegal abrir uma conta para investir no exterior, ao contrário do que muitas pessoas pensam.

Assim como em todas as outras opções, existem os detalhes para se atentar, como a tributação, que será diferente comparada com o Brasil. Portanto, será necessário obedecer às leis fiscais dos Estados Unidos.

Outro fator para ficar de olho são as taxas e impostos com a remessa de dinheiro que sairá do Brasil para ser convertido em dólares.

❕Pontos importantes sobre como investir em ações no exterior e em outros ativos

A principal ideia para reforçar ao investir em ações internacionais é a necessidade de estudar cada forma de investir lá fora e entender qual melhor se adequa ao seu perfil de investidor.

Não existe método mais eficiente de diminuir os seus riscos do que a informação e o conhecimento. Quando falamos de investir em outro país, esse fato se torna cada vez mais evidente e necessário, já que estamos entrando em uma outra cultura, outras leis e outras regulamentações.

Mais um detalhe que é essencial reforçar, principalmente para quem optar por investir diretamente no mercado americano ou através de BDRs:

os materiais mais importantes que irão conter as informações mais relevantes sobre a empresa que você investirá estarão em inglês, não tem como fugir disto.

Atualmente já existem plataformas que traduzem textos inteiros – mesmo que não saia perfeito, dá para entender grande parte das informações necessárias para a sua tomada de decisão. Busque sempre a fonte da informação.

E claro, não se esqueça de entender como funciona a tributação de cada ativo citado aqui, especialmente para as pessoas que investirem através de uma corretora americana. É uma parte burocrática, porém é fundamental estar em dia com a Receita Federal (do Brasil e dos Estados Unidos) para quem não quiser ter problemas futuramente.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp