Início » Investimentos » Criptomoedas no Brasil: ETF da Ether é aprovado pela CVM

Criptomoedas no Brasil: ETF da Ether é aprovado pela CVM

Casa de investimentos QR Asset Management conseguiu aprovação da CVM para seu ETF de Ether.
Logo da Ethereum com códigos atrás
(Divulgação: panoramacrypto)

Uma casa de investimentos brasileira especializada em criptoativos chamada QR Asset Management, conseguiu aprovação da CVM (Comissão de Valores Imobiliários), para seu ETF (Exchange Traded Fund) de Ether.

“Adm, não entendi absolutamente nada, Ether? ETF? CVM?”

Adm Explica

Ether é a segunda maior criptomoeda, ficando atrás apenas do Bitcoin. Ela nasceu e é negociada na Blockchain da Ethereum, a qual tem lógica similar à do Bitcoin, mas com vários diferenciais como a possibilidade de firmar transação por meio de contratos inteligentes. NFTs, por exemplo, geralmente são transacionados na Ethereum.

CVM é uma entidade vinculada ao Ministério da Economia do Brasil que tem como objetivo fiscalizar, disciplinar e desenvolver o mercado de valores mobiliários. Basicamente, é ela que permite o lançamento desses fundos novos, cria novas regras para o mercado de capitais e regula a bolsa de valores.

Por fim, ETF é um fundo de investimento atrelado a um índice de referência e negociado na bolsa de valores. BOVA11 é um exemplo de ETF aqui no Brasil, que replica o índice Bovespa que, por sua vez, indica o desempenho das principais ações brasileiras negociadas na B3. Ou seja, se você comprar o BOVA11, a rentabilidade vai variar conforme o índice Bovespa, que varia conforme as principais ações na bolsa, sacou?

 

📰 Ok, agora que você manja de CVM, Ether e ETF, vamos para a notícia:

No caso, o índice que a QR vai usar como referência para o seu ETF da Ether é o CME CF Ether Reference Rate, que acompanha o desempenho da criptomoeda. Não é o mesmo que comprar Ether, mas pode ser um meio mais fácil e prático para alguns investidores.

A QR Asset Management é a gestora do ETF, que terá o ticker QETH11. Uma mês antes, ela também lançou o primeiro ETF de Bitcoin no Brasil: QBTC11.

Existem outras gestoras de olho nas criptomoedas, como a Hashdex, que está preparando seu próprio lançamento de um ETF de Bitcoin, pelo qual pretende replicar um fundo que busca neutralizar as emissões de carbono da mineração de Bitcoin.

🧭 Por que é importante, adm?

A movimentação de casas de investimento para trazer não só alternativas de Bitcoin, mas também outras criptomoedas, deixa clara a tendência de que elas sejam cada vez mais acessíveis para o público.

É claro que temos problemas: 

  • ainda pregam o fim do Bitcoin
  • falta de COLABORAÇÃO do Sr. Helinho Musgo – Elon Musk, para os que não são próximos

Porém, mesmo com desafios, há muitas empresas grandes e gestoras apostando nesse mundo de moedas digitais. Serão visionárias ou fadadas à falência?

Fique de olho, compasser!

E aí, conta pro adm, tem criptomoedas na sua carteira?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp