Como e onde investir com pouco dinheiro

Mulher em dúvida com ponto de interrogação e ícone de investimentos ao lado | como investir com pouco dinheiro

É comum o pensamento de que é necessário muito dinheiro para poder fazer investimentos. Mas saiba que esse pensamento é falacioso!

Com a democratização do conhecimento sobre finanças e o mundo dos investimentos, as pessoas estão aos poucos descobrindo que investir é algo para todos! E você pode começar a construir seu patrimônio

Neste artigo, você vai aprender sobre como investir com pouco dinheiro e entender o poder dos juros compostos.

Com a estratégia certa, é possível que haja rentabilidade e aumento de patrimônio com o passar do tempo investindo uma quantia pequena. Vamos lá!

Como investir com pouco dinheiro? Passo a passo

Defina metas

Primeiramente, tenha metas. Parece óbvio, mas apenas “juntar” dinheiro sem um objetivo definido não é a melhor forma de se planejar. 

É importante que você tenha metas financeiras. A partir disso, divida suas metas em curto, médio e longo prazo e anote-as. Quando você sabe exatamente aonde quer chegar, é mais fácil traçar o caminho até lá.

Além disso, é importante saber suas metas para escolher melhor qual tipo de investimento faz sentido ali.

Planejamento (planeje seus gastos)

Mais um ensinamento que parece óbvio – e talvez seja justamente por isso que ainda não costuma ser colocado em prática. É praticamente a questão de não deixar para investir apenas o que “sobrar”. 

E se não sobrar nada?

Adm

Planeje-se para primeiro pagar a si mesmo como se fosse uma das contas que você tem a obrigação de pagar

Se você deixar para investir apenas aquilo que sobra, a possibilidade de que surjam gastos e no final não sobrar nada mesmo é bem maior. Portanto, coloque esse pagamento a si como uma obrigação que assim você elimina as chances de “não sobrar nada”.

Vale dizer:

“a tendência é que o trabalho se estenda até o prazo disponível para fazê-lo”. 

Ou seja, alguém tem quatro horas disponíveis para uma entrega que poderia ser feita em duas, possivelmente a pessoa utilizará todas as quatro horas. É claro que isso não vale para todas as pessoas, mas é possível enxergar uma tendência dentro do senso comum e se atentar para melhorar diante disso.

Essa tendência também é válida para os gastos.

E se mesmo assim não sobrar, ou seja, caso seu padrão de vida não permita que você consiga separar esse dinheiro, uma possibilidade é mudar o padrão. Isso pode ser feito, por exemplo, cortando alguns gastos não essenciais e realocando o dinheiro de maneira mais eficiente.

Estude sobre investimentos

Uma vez que você já se planejou de maneira a conseguir separar dinheiro para seus investimentos, é importante então aprender onde colocá-lo!

Separe um horário diariamente ou semanalmente (desde que haja uma frequência) para estudar e construir conhecimento sobre investimentos. Isso pode ser feito acompanhando todos os conteúdos da Jovens de Negócios, por exemplo. Uma ótima pedida, inclusive!

Assim, será possível ter um discernimento maior, além de mais segurança a respeito de onde alocar suas finanças.

Vale lembrar: apenas a teoria não basta. Conforme você aprende, pratique.

Afinal, você provavelmente conhece alguém que “investiu” em uma aplicação com promessa de rendimentos de 10% ao mês e que, pouco tempo depois, perdeu tudo ao descobrir que era uma pirâmide financeira

Justamente para evitar cair em golpes, é fundamental estudar o mercado, entender o que é renda fixa e renda variável e analisar quais são os ativos mais adequados ao seu perfil.

Adm Explica

Pirâmides financeiras são uma prática ilícita que garante altos ganhos para os membros de um negócio por meio da entrada de novos integrantes. Na prática, estes esquemas prometem retornos expressivos e acima da média para os investidores. Contudo, quando novos aplicadores deixam de entrar no negócio, o esquema se torna insustentável, visto que não há recursos suficientes para cobrir os retornos prometidos. 

Além disso, conhecer melhor o mercado financeiro e as empresas listadas na bolsa, por exemplo, é uma boa maneira de encontrar bons ativos por preços mais baixos.

"É importante conhecer e estudar o mercado. Não existe almoço grátis, não é fácil ganhar dinheiro, então é necessário estudar, se dedicar e ter disciplina"

Guilherme, do iHUB, em entrevista à The Compass

Vamos ao que interessa:

Possibilidades de onde investir com pouco dinheiro

Tesouro Direto

É por meio do Tesouro direto que os investidores fazem compra e venda de títulos públicos. São títulos de renda fixa com retorno e prazo já determinados no momento da compra – ou seja, investimentos mais seguros e previsíveis do que ações, por exemplo.

Nesse caso, os juros são baseados na variação da Taxa Selic, a taxa básica de juros da economia, que é discutida a cada 45 dias pelo Banco Central. O Tesouro Direto, além disso, possui liquidez diária – o que significa que você pode resgatar o dinheiro investido a qualquer momento.

O valor mínimo para uma aplicação aqui é de apenas R$ 30 e a quantidade mínima de compra em quantidade de título é uma fração de 1%, ou seja, 0,01 de um título – desde que seja respeitado o valor mínimo de R$ 30.

Você pode consultar os preços dos títulos e outras informações no site do Tesouro Direto, inclusive datas de vencimento, taxas de rendimento, valor unitário e muito mais.

É uma ótima alternativa à poupança, uma vez que é tão seguro quanto, mas possui uma rentabilidade maior

Fundos de investimentos

Existem diversos tipos de fundos de investimentos, mas resumidamente trata-se de um investimento coletivo reunindo recursos de várias pessoas alocados em um grupo de ativos. Neste grupo podem estar presentes títulos públicos e de renda fixa, fundos imobiliários, ações, entre outros.

Eles ficam sob cuidados de um gestor e são uma vantagem para quem não tem muito tempo para analisar ativo por ativo. No caso dos fundos de investimentos, o gestor faz isso pela pessoa e por isso existe a taxa de administração, que é a forma como os gestores são remunerados pelo trabalho.

Cada fundo possui uma aplicação mínima e existem fundos cuja aplicação mínima é R$ 100.

A rentabilidade de parte dos fundos vai de acordo com aquilo que o compõe. Além disso, quanto mais diversificado é o fundo, mais diluído é o risco.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

O famoso CDB – quem aí nunca viu na tela do celular algo como “CDB 100% do CDI” ou algo parecido?

CDBs, sigla para Certificado de Depósito Bancário, é basicamente um investimento em que você coloca seu dinheiro e o banco te devolve com juros. Na prática, é como se fosse um empréstimo para o banco e ele pode ocorrer de duas formas

  • Pré-fixado: é baseado na renda fixa e no momento do investimento já se sabe quanto ele vai render até a data do vencimento
  • Pós-fixado: é aquele no qual a rentabilidade depende de outros fatores externos, como por exemplo a taxa de juros entre o dia em que foi feita a aplicação e o resgate do título e a variação da inflação.

E o melhor: existem possibilidades de CDBs sem aplicação mínima.

Ações

Aqui estamos falando de algo mais arriscado do que renda fixa, mas que também pode trazer uma rentabilidade muito maior.

A ideia de que só se pode investir diretamente na bolsa de valores quando se tem muito dinheiro ainda é muito disseminada por aí, mas, na verdade, existem ações de menos de R$ 10 nas quais você pode investir.

Funciona assim: as ações são vendidas em lotes, sendo que um lote tem uma quantidade de 100 ações. No entanto, existe também o mercado fracionário, em que você pode comprar unidades de ações. 

A diferença, na hora de fazer a compra em sua corretora de investimentos, é que ao digitar o código de uma ação no home broker – como é denominada a área de negociações de uma corretora – você deve colocar na frente do ticker da ação a letra F para entrar no mercado fracionário – que são unidades e não lotes.

Por exemplo, se você comprar uma ação do Itaú em lote, o código será ITSA4, mas se for no mercado fracionário, o será ITSA4F.

Mas você pode pensar… “Por que vou investir tão pouco dinheiro?”

A resposta é simples:

O poder dos juros compostos.

Vamos trazer um exemplo para a ideia dos juros compostos ficar mais clara:

É assim: se você tem 100 reais, com juros simples rendendo hipoteticamente 10% a cada mês, você receberia 10% de 100 reais a cada mês, ou seja, R$ 10.

Mas a magia dos juros compostos é que no segundo mês, por exemplo, o rendimento de 10% não vai ser apenas sobre o valor inicial aportado, mas sim sobre o valor aportado + o valor que rendeu.

Ou seja, seria 10% sobre 110 reais, que resulta em 11 reais de rendimento, resultado em um capital total de 110+11 = 121,00.

No mês seguinte, o rendimento será sobre os 121,00, ou seja, 10% de 121 dá R$ 12,1. Assim, o capital total é: 121,00 + 12,1 que renderam neste mês, resultado em 133,10.

No mês seguinte, acontece da mesma forma e essa é a magia!

O rendimento acontece sobre o dinheiro rendido. Por isso, quanto mais você não deixar o seu dinheiro ali, maior será o valor acrescentado a cada mês (considerando uma rentabilidade mensal) pois ele rende sobre o que permanece ali na conta.

Além dos juros compostos, a questão do acúmulo também faz muita diferença ao longo do tempo: mesmo que sejam quantias pequenas a serem investidas todos os meses, conforme o tempo passa e aquele valor vai ao mesmo tempo rendendo e se somando, tornando-se uma bola de neve.

Partindo pra prática

Agora que você já sabe o que fazer para começar a investir com pequenas quantias e conhece algumas das opções disponíveis, hora de ir para a prática. 

E é muito simples: basta criar uma conta em uma corretora de investimentos – a criação da conta é gratuita -, após isso, responder o questionário que aparecerá para identificar seu perfil de investidor e escolher os produtos que mais fazem sentido para você dentre os disponíveis na sua corretora.

Em seguida é só transferir para a conta da corretora o dinheiro separado para seus investimentos e investir! São exemplos de corretoras: Clear, Rico, ModalMais, Toro, XP, Banco Inter, Easy Invest, entre outros.

Obs do Adm

Atente-se às taxas de corretagem! São taxas cobradas para efetuar a compra de títulos ou ativos a depender da corretora. Nem todas elas cobram taxa, então fiquem atentos ao que estão dispostos a pagar!

Entendeu que é possível investir com pouco dinheiro e quão importante é essa atitude?

Agora é partir pra vida real, colocando as dicas em prática e colando com a The Compass pra aprender sempre mais! 

Inscreva-se na nossa newsletter!