Bitcoin atinge US$ 50 mil, maior cotação desde maio

bitcoin

Na noite de ontem (22), o Bitcoin atingiu sua máxima cotação desde maio, alcançando valores acima de US$ 50 mil. Nos últimos meses a volatilidade tá braba!

Lembram em abril deste ano? O Bitcoin, nessa época, chegou realmente em sua máxima histórica, chegando a valer US$ 64 mil. Mas, é claro, a volatilidade foi atacando: desde então, foram vistas também várias e várias quedas bruscas da moeda.

Agora, mais recentemente, a moeda está em um ciclo de altas e há quem fique bem otimista com isso.

Alguns dos motivos para esse aumento frequente são, por exemplo, países migrando para moedas digitais, plataformas e empresas planejando ou aderindo ao uso do Bitcoin em suas formas de pagamento, entre outros.

A última vez que rolou um pico foi na notícia de que a Amazon estava contratando um profissional de blockchain à equipe de pagamentos.

Será que o Bitcoin, que é vinculado ao Blockchain, está em vias de ser aceito como forma de pagamento na Amazon? A empresa se posiciona como inspirada pela inovação no espaço das criptomoedas.

“A empresa está explorando como isso poderia ser”

afirmou um porta-voz

Além disso, nosso tão falado Elon Musk – que curte twittar sobre a cripto -, além do presidente do Twitter Jack Dorsey e de Cathie Wood, presidente da ARK Invest, palestraram nas últimas semanas em uma conferência a respeito do Bitcoin.

Vale dizer: a corretora Binance no Brasil, maior do mundo no segmento de criptomoedas, está sendo alvo da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), vetando possibilidades de operações de contratos futuros na plataforma.

A corretora ainda precisou exigir dos usuários mais uma verificação pessoal e reduzir o limite diário de saques – anteriormente, era de 2 bitcoins (cerca de US$ 97 mil), agora é 0,06 bitcoin (equivalente a aproximadamente US$ 3 mil).

Inscreva-se na nossa newsletter!