Ações do Nubank caem 8,22% e atingem a mínima histórica

Papéis fecharam o dia de ontem valendo US$ 5,47
foto da fachada do Nubank

“Auuuuu, late, coração cachorro, late, coração…”. Ações do Nubank caem mais de 8% e atingem a mínima histórica fechando o dia de ontem com preço unitário em US$ 5,47. 

Acionistas conservadores que apostaram na empresa morreram, mas passam bem. 

Qual é a tragédia da vez no Nubank? 

Pois é, ontem o Nubank sentou gostoso e atingiu o menor valor já alcançado durante seu período de listagem na NYSE, bolsa de valores de New York City.

Assim, cada pedacinho do banco virtual fechou o dia valendo apenas US$ 5,47, o que representa uma queda 8,22%, considerando que o valor de cada papel valia US$ 9 quando foi listado na bolsinha gringa

Chora não, miséria. 

Qual a causa, motivo, razão ou circunstância?

Primeiramente, alta na taxa básica de juros dos EUA. Com o Joe Biden oferecendo mais dólares para quem emprestar dinheiro para o país, os investidores acabam ficando mais interessados no cofrinho do Joe Joe. 

Além disso, o Nubank anunciou uma pequena mudança na data do ‘Lock-up’. 

O que ‘satanás’ é um ‘Lock-up’?

É uma cláusula contratual que estabelece um período em que um investidor precisa reter as ações antes de vendê-las. Se esse período não for cumprido, o desobediente pode ser multado. 

No caso do Nu, para os mais íntimos, existia uma cláusula de Lock-up de três semanas depois da divulgação do balanço da empresa.  

Ou seja, o investidor que aderiu a esse acordo só poderia vender suas ações 3 semanas depois da divulgação dos resultados do Nubank. 

Contudo, na segunda-feira, 02/05, o banco anunciou que os investidores estavam livres para vender seus papéis já no dia seguinte ao relatório do primeiro trimestre. 

Ainda, alguns investidores ficaram pistolas após o anúncio de que o roxinho pagaria uma remuneração de R$ 804 milhões para a sua diretoria este ano. 

Isso porque, de acordo com alguns especialistas, o Nubank ainda não está registrando lucros e já está falando em pagar uma grana alta para os diretores. O que irrita o acionista que não vai morder um pedaço desse bolo. 

Todas essas podem ser as causas, porém, o banco segue firme em sua defesa de que trabalho com foco no longo prazo, e que um dia a vitória vem, e vem com sabor de mel. 

Inscreva-se na nossa newsletter!