86% dos brasileiros tiveram finanças muito prejudicadas com a pandemia, diz pesquisa

Enquanto o número de poupadores caiu nesse período, o de muitos endividados duplicou!
86% dos brasileiros tiveram finanças muito prejudicadas com a pandemia, diz pesquisa

Se você já nos acompanha aqui, provavelmente já viu alguns dados que mostram que a saúde financeira do brasileiro não está muito boa, principalmente com os impactos da pandemia.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Axxus, uma startup de tecnologia da Unicamp, mostrou que 86% dos brasileiros acreditam que suas finanças foram muito prejudicadas com a crise causada pela Covid-19. 

O estudo ouviu 2.500 pessoas de todas as regiões do país. Entre elas, apenas 8% dos entrevistados acreditam que estão administrando bem o dinheiro desde o início do ano passado.

Mais endividados, menos poupadores

Como já é possível imaginar, se as pessoas não estão se organizando bem financeiramente, o número de endividados também aumentou nesse período. 

De acordo com a pesquisa, o número de pessoas que se consideram muito endividadas saltou de 14% para 30% entre 2019 e 2021. Essas são aquelas que têm dívidas tão altas que precisam de uma outra fonte de renda para pagá-las, além do valor que elas já recebem mensalmente com seus trabalhos.

Por outro lado, o número de pessoas que conseguem economizar dinheiro todos os meses caiu de 4%, em 2019, para 2% neste ano. Já aqueles que não guardam dinheiro mensalmente, mas que também não têm dívidas, passou de 18% para 13%.

O que causou esse aumento?

Aqui na The Compass já mostramos que os impactos econômicos da pandemia no Brasil foram bem sérios. O desemprego já atinge 14,8 milhões de pessoas no Brasil, por exemplo, e o Índice de Miséria atingiu um patamar recorde no país.

Em meio a todo esse cenário, a pesquisa mostrou que os brasileiros viram as dívidas aumentarem por conta da falta de planejamento financeiro e dos imprevistos ocorridos neste período. Além disso, manter o padrão de vida de antes da pandemia também se mostrou mais caro agora.

Inscreva-se na nossa newsletter!