Venezuela corta mais seis zeros de sua moeda por conta da hiperinflação

Já são 14 zeros cortados desde 2008... A situação tá tensa demais!
Venezuela corta mais seis zeros de sua moeda por conta da hiperinflação

O bolívar, moeda utilizada na Venezuela, passa nesta sexta (1) por uma reconversão para remover seis zeros. Na prática, isso significa que a cotação do dólar no país passou de 4,18 milhões de bolívares ontem para 4,18 na manhã de hoje.

Apesar de parecer uma recuperação milagrosa da economia venezuelana, a situação é totalmente oposta.

Infelizmente, a vida da população venezuelana não está fácil. O salário mínimo no país é de apenas US$ 2,50 por mês. Além disso, três em cada quatro famílias estão na extrema pobreza, conforme um levantamento da universidade chilena Andrés Bello.

Por que cortar zeros da moeda?

A medida adotada pelo Banco Central da Venezuela é, na verdade, uma forma de facilitar as operações e evitar que pessoas carreguem sacolas de dinheiro.

Comentário do Adm

Desde 2008, 14 zeros já foram eliminados do bolívar na tentativa de facilitar a vida dos venezuelanos.

Afinal, com a hiperinflação, o bolívar está ainda mais desvalorizado.  Segundo a Ecoanalítica, a taxa de inflação no país já bateu 1.600% em 2021. Com isso, o bolívar já se desvalorizou mais de 73% no ano.

E agora?

De acordo com o economista Luis Arturo Bárcenas, da Ecoanalítica, a medida adotada hoje mostra a baixa capacidade das autoridades monetárias do país para controlar a crise econômica que está devastando o país.

Vale ressaltar que a medida não faz com que o bolívar esteja valendo mais (ou menos). Afinal, essa é apenas uma forma de reduzir o volume de notas em circulação.

Entretanto, no curto prazo, essa reconversão pode também gerar uma série de problemas operacionais em comércios e instituições financeiras locais, já que é necessário um processo de adaptação às novas notas.

Em meio a esse cenário, os venezuelanos estão tentando proteger suas rendas com moedas estrangeiras e recorrendo informalmente para o dólar. 

Inscreva-se na nossa newsletter!