Rússia diz que vai mandar sinais ‘desconfortáveis’ aos Estados Unidos

“Pior de tudo é perceber, que você vinha dando sinais, e eu não vi” — o Sorriso Maroto está diferente com Vladmir Putin cantando ‘Sinais’. ADM te explica o pagode.
Montagem com Joe Biden do lado esquedo e Vladimir Putin do lado direito

Ah, ok, ela é de ameaças, ela. A Rússia disse hoje (31) que vai enviar sinais “desconfortáveis” para os Estados Unidos até o encontro entre os dois países no mês que vem.

Além desses sinais, a Rússia vai aumentar sua presença militar nas suas fronteiras do Oeste.

Quem tem Rú, tem medo — não, pera…

Os comentários russos vêm um dia depois do presidente Joe Biden dizer que vai pressionar o presidente da Rússia, Vladimir Putin a respeitar os direitos humanos. Os dois presidentes vão se encontrar em Genebra dia 16 de junho.

O recado foi através do ministro de relações exteriores, Sergei Ryabkov, que disse: “Os Americanos vão ter que assumir que uma série de sinais de Moscou… vão ser desconfortáveis para eles, inclusive nos próximos dias.

Vou falar para vocês, são os “…” no meio do pensamento que me matam! 🤣

O Ministro disse que a Rússia está pronta para responder quaisquer indagações sobre direitos humanos, e mandou a indireta logo ao dizer que Moscou está sendo mais flexível que Washington em relação à agenda da reunião.

Tensões entre EUA e Rússia vem aumentando nas entrelinhas depois que o governo de Putin prendeu um de seus opositores, Alexei Navalny, e aumentou a presença militar na fronteira da Ucrânia.

Além disso, os americanos nunca engoliram aquela história de que a Rússia tentou hackear as eleições americanas.

Vou falar para vocês, desde a Guerra Fria, a gente não via uma relação tão frágil como a que os dois países têm agora. Me lembra até meu rolê com a @.

E outra! “Desconfortável” é levantar cedo e pegar o busão lotado para ir trabalhar, queridos. A treta de vocês é descarada mesmo. Se orientem!

Inscreva-se na nossa newsletter!