Rússia diz que preço do gás vai explodir, e isso afeta o Brasil

Imagem do presidente Putin, simbolizando preço do gás da Rússia

Depois da nova previsão sobre o preço do gás, a Rússia já encomendou os óculos de mitagem para Putin rir na cara dos seus oponentes.

Preço do gás nas alturas

Nesta quarta-feira (25) a Reuters informou que o Ministério da Economia russo prevê que o preço do seu gás natural ainda dobrará este ano. De acordo com as informações, a expectativa é que o preço só volte ao normal em 2025. 

Nesse sentido, com a previsão, o governo russo avalia que o preço médio por 1 mil metros cúbicos do gás vá a cerca de US$ 730. No ano passado, o custo pelo mesmo volume do combustível estava em US$ 304,60.

Leia mais:

Inicia uma das mais acirradas campanhas eleitorais da história

PIB brasileiro avança no segundo trimestre, afirma FGV

Como a Rússia justificou?

Desde junho que o Nord Stream, o gasoduto que abastece a Europa, passa por cortes em sua capacidade de abastecimento. Segundo a fornecedora estatal russa, as reduções ocorreram por causa de manutenções na rede e por falta de equipamentos em virtude das sanções.

Contudo, os países europeus acusam a Rússia de utilizar a sua influência para pressionar a comunidade internacional a recuar nas medidas. Na prática, mais de 40% das importações de gás natural da Europa vem da Rússia, criando uma poderosa carta na manga para Putin.

De acordo com o Ministério da Economia, o fornecimento cairá ainda mais este ano, o que motiva a previsão de preço em dobro. No entanto, apesar da pasta não ter justificado o motivo, a ideia é que novos cortes aconteçam nos próximos anos.

Como isso afeta o Brasil?

Somente este ano, após o início dos conflitos com a Ucrânia, o preço do gás russo já mais que dobrou de preço. Portanto, caso a ameaça de mais cortes se concretize, a Europa poderá começar a falar em racionamento, precisando partir para outros combustíveis. 

Nesse sentido, um dos substitutos seria o diesel, que já enfrenta a sua dose de altas. Portanto, com a demanda pelo item aumentada, o mundo, incluindo o Brasil, poderia sofrer com o encarecimento do diesel, impactando novamente toda a cadeia produtiva no país.  

Inscreva-se na nossa newsletter!