Presidente da Ucrânia fala em desistir da Otan

Organização decidiu enviar mais tropas
presidente da Ucrânia

Sem ‘abiguinhos’ fica difícil mesmo. Sentindo-se abandonado pelos países do ocidente, o presidente da Ucrânia já fala em desistir da Otan e se diz aberto para negociar com a Rússia. 

O homem está perdendo o gás?

Em um pronunciamento para a TV, o líder ucraniano disse que seu país foi deixado sozinho e que pode adotar uma posição neutra em relação à Otan. 

Isso porque o exército russo já avançou para a capital, Kiev, coisa que a Rússia disse que não faria, mas agora está a cerca de 9 km do Parlamento da Ucrânia.

Havia uma expectativa que a Otan, Organização do Tratado do Atlântico Norte, agisse caso o país de Putin continuasse em marcha. 

Contudo, os russos avançaram e feriram militares e civis e a Otan nada. O governo ucraniano está armando sua população e até recomendando através do Ministério da Defesa que as pessoas façam coquetéis molotov, uma arma caseira. 

Assim, largado às traças, o presidente da Ucrânia já pensa em hastear uma bandeira branca. 

A Otan não está fazendo nada? 

Após uma reunião virtual com os líderes dos 30 países parceiros, a Otan decidiu hoje enviar mais tropas para o leste da Europa, apenas para intimidar as inimigas. 

Além disso, a Otan ainda pediu aos demais países do mundo que condenassem as ações da Rússia na Ucrânia.

Países da União Européia e os EUA anunciaram castigos econômicos para a Rússia, como o congelamento de ativos tanto do país, quanto do seu presidente. Mas Putin segue pleno.

Como a Rússia reagiu às sanções?

Putin já havia dito que a Rússia estava preparada para as punições que outros países aplicassem, e que o país de forma alguma deixaria de ser uma potência global. 

Ademais, o presidente russo ainda mandou um recado para o exército ucraniano, dizendo para eles tomarem o poder das mãos de Zelensky, presidente da Ucrânia, e ainda o chamou de neonazista viciado em drogas. 

Será que esse homem está abalado com as sanções?

Por fim, Putin declarou estar aberto para negociar com Zelensky. Será que vem aí um acordo?

Inscreva-se na nossa newsletter!