Inflação nos EUA marca 7,5% e já é a maior em 40 anos

Expectativa é de aumento nas taxas de juros já em março
Foto do presidente dos EUA, simbolizando retirada da Ucrânia

Os americanos não estão mais aguentando pagar US$ 30 para encher o tanque. É um absurdo! Inflação nos EUA alcança a marca de 7,5% que já é a maior em 40 anos. O Presidente garante que o combate ao aumento de preços é sua prioridade. 

Ora, ora, ora, os ricos também choram? 

Estão chorando em dólares. Apesar de terem uma das moedas mais valorizadas do mundo, faltam produtos em sua prateleira. É neste momento que percebemos que não adianta ter um dinheiro forte, se a produção de bens não funciona. 

Em janeiro deste ano, o índice de inflação na terra do Mickey ficou em 0,6%. A título de comparação, o índice de inflação no Brasil foi de 0,54%. Quem diria, não é mesmo? 

Considerando o acumulado de 12 meses, a inflação ficou em 7,5%. Há 40 anos os comedores do cachorro quente mais sem graça do mundo não sabiam o que era inflação tão alta. 

O que fez os preços subirem por lá? 

Primeiramente, só para gravar no coraçãozinho de todos vocês, uma breve explicação sobre inflação. 

Resumidamente, a inflação é o resultado da baixa oferta e muita procura. Ela aparece quando há uma grande demanda, ou seja, gente querendo comprar, e pouca oferta, o que quer dizer, poucos produtos disponíveis no comércio. 

A bruxa segue sendo a pandemia, responsável por fazer desligar as máquinas de produção, o que fez faltar itens nos comércios, lojas, mercadinhos e afins. 

Lembrando que os EUA também forneceram um auxílio às famílias de baixa renda em razão do desemprego desencadeado pela doença. Logo, os dólares no bolso dos americanos os levou a fazer compras, e então faltou estoque para completar as prateleiras.  

Aqui é BR. O que eu tenho com isso? 

Dado que o presidente Biden está sem muita moral no seu país, é de se esperar que suas ações para frear a inflação vão vir quentes. E os EUA que já são uma noção dona da coisa toda, quando montam seus planos estratégicos, atraem investidores. 

Afinal, porque receber juros em reais, se eu posso receber em dólares? De besta basta as do Apocalipse, investidor quer é rendimento em moeda forte. 

O Banco Central da terra do Tio Sam pretende subir sua taxa básica de juros, e a gente pode esperar uma fuga de verdinhas para o cofre do país do Joe Joe. Enquanto a gente segue carregando essa cruz de inflação por um pouco mais de tempo.

Inscreva-se na nossa newsletter!