Google anuncia sua primeira loja física

Na contramão dos tempos, Google aposta que humanos ainda serão humanos no fim da pandemia.
Sede do Google

Opa, a Google anunciou hoje (20) que vai abrir sua primeira loja física em Nova Iorque para vender celulares, relógios digitais, Pixelbooks e caixas de som – dentre outros vários produtos.

O que que eu tenho a ver com a loja da Google lá no escambau, meu consagrado?

Pode ser que quando você for fazer seu turismo da vacina em Nova Iorque, você aproveite para comprar um celular novo… ou pode ser que você queira acompanhar o movimento de uma das maiores companhias do mundo na contramão do comércio digital.

Se o mundo inteiro está matando dois leões por dia para fortalecer sua presença digital, por que será que a Google resolveu investir em uma loja física justo agora?

O segredo está com a Apple. Assim como faz a Apple, a Google quer dar aos seus clientes a possibilidade de testar seus produtos antes de comprá-los. Aquela coisa de entrar na loja e ver os computadores todos ligados, os celulares tinindo, aquele cheiro de coisa nova — isso o digital não oferece.

As Apple Stores, como são chamadas as lojas da Apple, oferecem justamente este tipo de experiência e agora a Google quer morder esse biscoito aí, camarada.

Além de vender produtos, a Google também vai oferecer suporte técnico para seus produtos, dentre outros serviços.

Espera-se que com este teste, mais lojas físicas sejam abertas no futuro, atingindo mais clientes ao redor do mundo. Mas o interessante aqui é realmente notar como está pensando uma grande companhia de tecnologia agora que a pandemia está ralando peito dos Estados Unidos.

E aí, será que é a Google tentando ser mais como a Apple ou é a Google e a Apple tentando ser mais como a gente?

Você vai preferir lojas físicas ou comércio online depois da pandemia?

Inscreva-se na nossa newsletter!