Início » Internacional » França vai pagar até R$ 9 mil para quem trocar carro por bicicleta

França vai pagar até R$ 9 mil para quem trocar carro por bicicleta

Não é a primeira tentativa de reduzir as emissões de carbono
franca rua com carros
Cyril Mazarin|Unsplash

Após meses de debate, uma nova lei na França agora permite que quem trocar seu carro por uma bicicleta receba um bônus de até 1500 euros (o que equivale a cerca de R$ 9 mil). 🚗 👉🚲

Depois dos EUA oferecendo dinheiro pra população se vacinar, como já mostramos aqui, agora é a vez da França dar incentivos financeiros para motivar a galera a cuidar do meio ambiente.

Este apoio veio para ajudar o país a cumprir as metas ecológicas. Para quem não tem carro, a medida funciona um pouco diferente. A pessoa tem a possibilidade de receber uma espécie de voucher de até 1000 euros para comprar uma bicicleta elétrica de carga.

De acordo com um comunicado assinado pelos ministérios do Transporte e da Economia da França, esta medida visa motivar uma evolução rumo ao transporte sustentável, principalmente em solo urbano e nas periferias.

"A Lei do Clima amplia o bônus de conversão para a compra de bicicleta eletricamente assistida ou carga elétrica bicicleta em troca da entrega de um carro ou caminhão poluente ao ferro-velho",

informa o comunicado.

Vale dizer: a medida não consta no texto original do projeto de lei apresentado pelo governo. A emenda que concede o bônus foi votada por unanimidade na Assembleia Nacional perto do mês de abril.

Existe ainda uma lei nacional contra as alterações climáticas que é criticada por ambientalistas, que a consideram muito sutil em relação ao que realmente é necessário. Segundo eles, existem medidas consideradas inovadoras para combater o aquecimento global. Uma delas é a proibição de voos quando existem alternativas de trem, por exemplo, de menos de três horas.

Além disso, a França passa a considerar oficialmente o crime chamado “ecocídio”, Esta medida proíbe o aluguel de imóveis residenciais sem o isolamento térmico adequado, em prol de evitar gastos energéticos sem necessidade com aquecedores e semelhantes.

A partir dessas medidas, o governo da França acredita que a possibilidade de reduzir as emissões de carbono em 40% no país até 2030 – em relação a 1990 – é alta.

No Acordo de Paris, feito em 2015 para, resumidamente, limitar o aumento da temperatura mundial contendo o aquecimento global, também estão presentes metas que serão apoiadas por essa nova lei.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp