EUA orientam fuga urgente de americanos da Ucrânia

A informação do governo é que a Rússia está planejando ataques massivos ao país nos próximos dias
Foto do presidente dos EUA, simbolizando retirada da Ucrânia

À medida que a guerra entre Rússia e Ucrânia se aproxima dos seis meses de duração, os EUA se adiantam para tentar, no seu entendimento, proteger os americanos na rota da confusão.

Nesta terça-feira (23), o governo Biden orientou que os seus cidadãos deixem a Ucrânia em virtude de informações sigilosas que especulam uma situação potencialmente muito mais feia em breve por lá.

Leia mais:

Banco Central da Alemanha prevê recessão pesada em breve

Preço da gasolina já caiu quase 30% desde junho, afirma ANP

De onde os EUA tiraram que a Ucrânia corre risco?

Isto porque, segundo a embaixada dos EUA em Kiev, a Rússia tem se mobilizado militarmente para atacar tanto instalações governamentais quanto civis nos próximos dias. Portanto, o alerta vermelho de fuga aos americanos deriva das informações sigilosas do governo.

A tensão do alerta se dá pois, apesar do governo ter proibido, amanhã (24), a Ucrânia comemora sua independência do domínio soviético. Nesse sentido, o entendimento é que isso poderia motivar ataques russos surpresa com o intuito de demonstração de força.

Além disso, o clima esquentou após o assassinato da filha de um importante conselheiro do presidente Putin. Com isso, acusações russas de que a Ucrânia seria responsável começaram a surgir, algo que o país prontamente negou.

Inscreva-se na nossa newsletter!