Eleições na França levam Macron e Le Pen para o segundo turno

Atual presidente recebeu cerca de 27,6% dos votos, e adversária teve 23,4%
foto de candidatos a presidência na França

Será que o atual presidente Macron vai seguir no poder? Após uma alta abstenção de votos na França, Emmanuel Macron e Le Pen chegam ao segundo turno. 

A disputa está acirrada na França? 

Com absoluta certeza. Ainda que o atual presidente tenha tido uma vantagem em relação a sua adversária, a vitória no segundo turno é incerta. 

Para tentar a reeleição, Emmanuel Macron disse em um discurso aos seus apoiadores que pretende focar em público que não está muito interessado nas eleições presidenciais de 2022. 

Isso porque, o número de abstenções já é o maior em 20 anos. Dados apontam que até às 17 h do horário local, apenas 65% da população havia depositado o seu voto. 

Lembrando que na França votar não é obrigatório. 

Ontem, o atual presidente recebeu cerca de 27% dos votos, enquanto Le Pen, recebeu aproximadamente 23%. 

Quais são as propostas? 

Segura que lá vão algumas. 

Enquanto Macron pretende fortalecer o vínculo com a União Europeia, sua adversária reforça que as leis nacionais são superiores e quer focar apenas nos franceses. 

Além disso, Le Pen já anunciou que pretende tirar a França da Otan, Organização do Tratado do Atlântico Norte. 

Com relação aos imigrantes, o Sr. Emmanuel defende a exigência de exame de francês para integrar os que vêm de fora no mercado de trabalho. 

Por outro lado, Le Pen quer bloquear a regularização de imigrantes sem documentos e expulsá-los do solo francês. 

Já em relação aos impostos, Macron defende uma redução no imposto de renda para casais que morem juntos. 

Em contrapartida, sua adversária quer isentar desse imposto os menores de 30 anos que não saírem da França.  

Quando vai ser o segundo turno? 

Os franceses vão decidir entre Macron e Le Pen no dia 24 de abril. Por enquanto, não há um preferido, ou seja, qualquer um pode levar. 

E o Brasil com isso? 

Vale ressaltar que a candidata Le Pen tem uma política mais protecionista, ou seja, defende que o Estado deve comprar produtos e serviços do seu país. 

Então, os vendedores brasileiros podem ter uma queda em suas exportações para a França, caso a candidata vença as eleições. 

Contudo, Macron não é um fã do nosso atual presidente e é contrário à entrada do Brasil na OCDE sem ações que se preocupem com questões climáticas. 

Inscreva-se na nossa newsletter!