Ele voltou! Lockdown em Xangai coloca interrogação na economia

Entenda como a estratégia do governo chinês afeta o mundo
Mulher asustada, simbolizando lockdown em Xangai

Parece que a China vai continuar levando super à sério a política de “covid zero” que vem pressionando não só a economia de Xangai, como também a do mundo inteiro.

De novo, China?

Há poucos dias atrás a população de Xangai comemorava a liberação das restrições que o governo da China impôs para conter surtos de covid. No entanto, a alegria dos cidadãos da cidade não durou muito tempo.  

Nesta quinta-feira (9) o governo chinês anunciou que, em virtude da alta de casos da doença após as liberações, uma nova série de restrições aconteceriam. Apesar de agora não ser em toda a cidade, milhões de cidadãos ficarão isolados. 

Leia mais:

Inflação dá uma pisada no freio

Acaba prazo para reservar ações da Eletrobras

Qual a extensão agora?

Na prática, dessa vez, cerca de 2,7 milhões de habitantes terão que ficar em casa até segunda ordem. De acordo com o governo, esses moradores premiados precisarão enfrentar até o dia 23 de junho, mais cinco rodadas de testes obrigatórios. 

Contudo, um dado oficial do governo chinês chama atenção. Segundo a Comissão Nacional de Saúde da China, o número de casos registrados da doença no país até ontem (8) foi de 240, sendo que 170 são sem sintomas, o que levanta críticas à estratégia adotada.

Qual a importância de Xangai?

A cidade, que é a maior da China em população, também tem um importante papel na economia mundial, uma vez que é considerado o centro financeiro do país. Para se ter noção, o porto de Xangai ostenta o título de maior porto do planeta Terra.

O país divulgou hoje que as exportações cresceram 16,9% em maio, quando comparado com abril deste ano. O dado vem depois das últimas liberações. No entanto, com a política de vai e vem da China, “instabilidade” seria a palavra que definiria as futuras projeções.

Nesse sentido, qualquer medida que afeta a força produtiva da região interfere diretamente nos parceiros comerciais da China que, pelo jeito, vão precisar engolir calados a estratégia adotada de eliminar totalmente as contaminações.

Inscreva-se na nossa newsletter!