BC da Argentina proíbe bancos de oferecer criptomoedas

De acordo com o Banco Central argentino, a medida visa proteger a população
foto da bandeira da Argentina

Banco Central da Argentina proíbe instituições financeiras de oferecer operações com criptomoedas. Segundo o BC, a proibição visa proteger usuários e o sistema financeiro. 

“Tu pode me evitar, pode me bloquear, mas não vai conseguir me deletar do coração…”. 

Qual a nova na Argentina?

Pois é, ontem o BCRA, que é o Banco Central da Argentina, anunciou que bancos e demais instituições financeiras estão proibidos de oferecer operações com ativos digitais. 

A declaração aconteceu dois dias depois que dois bancos locais, Galícia e Brubank, anunciaram que iriam oferecer negociações de criptomoedas em seus portais e sites.

Tanto dinheiro gasto com anúncios para isso…Que lapada.  

Por que essa proibição?

De acordo com a instituição, essas operações são muito arriscadas para os usuários e para o sistema financeiro, já que as criptomoedas não têm nenhuma garantia. 

Ainda, acrescenta que a maneira de operar as criptos pode facilitar o crime de lavagem de dinheiro e desobediência às leis do país.  

Contudo, o verdadeiro motivo por trás da proibição pode ser outro. Isso porque, rola na rodinha de fofoca de investidores que na verdade o BC está com medo que a moeda argentina, o Peso argentino, perca preferência para a sua concorrência.

Isso porque o número de investidores hermanos aumenta na mesma medida que a inflação no país, que está com um índice acima de 55%. Isso significa que o poder de compra da moeda local fica cada dia menor. 

Em outras palavras, se antes você precisava de apenas uma nota para comprar uma coca zero, por exemplo, com a perda do poder de compra, agora você vai precisar de duas. 

Qual a preocupação do BC da Argentina?

Nossos vizinhos estão apostando nas criptomoedas como reserva de valor. 

Ou seja, estão comprando e guardando uma moeda que tende a subir com o passar do tempo em razão da sua escassez, já que elas são limitadas, diferente do dinheiro do governo que pode ser impresso a qualquer momento. 

Assim, a preocupação é que a moeda valha cada vez menos, já que as pessoas não estão querendo investir no peso argentino. 

Então, com a proibição, o governo tenta obrigar a população a usar a moeda argentina, para que ela não siga caindo. Porém, essa medida acaba tendo o efeito contrário, já que acaba atraindo ainda mais investidores de criptomoedas no país. 

Inscreva-se na nossa newsletter!