Banco Central britânico acionou o alerta de tempestade

Para o presidente do órgão, o clima mundial de recessão está cada vez mais próximo de ser uma verdade estabelecida

Não é novidade que o cenário de crise tem se espalhado por todo o globo, mas o último alerta vindo do Banco Central britânico é para despertar a urgência da situação

Profeta do apocalipse

Nesta terça-feira (05), o Bank of England (BoE), equivalente ao Banco Central do Brasil, deu ainda mais seriedade ao clima já tenso da economia mundial. De acordo com o próprio alerta, o que será visto em pouco tempo é uma “tempestade econômica”.

A declaração veio especificamente do presidente do órgão, Andrew Bailey, que fez questão de dar dicas aos agentes econômicos do país. Segundo Bailey, os bancos devem urgentemente começar a aumentar suas reservas, do contrário, sofrerão as consequências.

Leia mais:

O preço do petróleo vai triplicar?

Nova ministra da Argentina traz pimenta à crise

Por que devemos ouvir um Banco Central?

Importa estar atento às declarações dos bancos centrais uma vez que são eles os responsáveis por tocar os rumos financeiros das nações. Isto porque, é através das medidas que eles tomam, que os mercados sentem como está o clima econômico no país.

Por exemplo, ao aumentarem as taxas básicas de juros, algo que tem se repetido pelo mundo, inclusive no Brasil, os BCs sinalizam que o custo do dinheiro aumentou. Neste caso, o sinal para poupar aumenta, mexendo em todo o tabuleiro de investimentos. 

No caso do Reino Unido, em junho, o BoE elevou pela 5ª vez consecutiva sua taxa básica de juros, demonstrando a dificuldade do país em conter a inflação. E este é um dos motivos que faz Bailey levantar o alerta de que as coisas não andam nada bem, e ainda piorarão.

Qual a análise do Banco Central britânico?

Para o órgão regulador da economia na região, as perspectivas globais estão se deteriorando muito rapidamente, o que traz o tom de urgência. Nesse sentido, o que o BoE percebeu, é que desde que o ano começou, o cenário econômico só piorou.

Além disso, Bailey ainda citou a guerra entre a Rússia e Ucrânia como um ponto sensível que ainda trará muitas consequências ao mundo. Por último, com o alerta, a sensação que fica com a declaração é de que , pelo menos no Reino Unido, a recessão já é uma verdade.

Inscreva-se na nossa newsletter!