Argentina elabora projeto para controlar redes sociais

Opositores e jornalistas locais enxergam projeto como autoritário
foto do presidente da Argentina

Redes sociais precisam de controle ou não? O secretário de Assuntos Estratégicos da Argentina, Gustavo Béliz, anunciou que o governo prepara um projeto para o uso de redes sociais. 

A crítica desceu o chicote. 

Que projeto da Argentina é esse? 

De acordo com Gustavo Béliz, a ideia é “o uso para o bem comum visando evitar a intoxicação da democracia”, disse durante a apresentação da Agenda Argentina Produtiva 2030.

Contudo, não deu maiores detalhes de como isso iria acontecer. Presente no evento estava o Presidente da Argentina, Alberto Fernández.

Ainda, Béliz acrescentou que o projeto conta com a parceria de mais 40 universidades do país, empresários, sindicalistas, representantes da sociedade civil, entre outros. 

E o que a crítica disse? 

A declaração do secretário não agradou jornalistas e opositores do governo, que viram o projeto como autoritário. 

Isso porque a liberdade de expressão e a pluralidade de ideias estão em risco, segundo o Foro de Jornalismo Argentino, Fopea.

Já o governador do Distrito Federal de Buenos Aires, Horacio Rodríguez, declarou que a melhor maneira de evitar a intoxicação da democracia é deixar o povo falar o que pensa. 

Além disso, a ex-presidente da Agência Nacional de Comunicações, Silvana Giudici, questiona como o governo decide o que intoxica a democracia ou não.

Quais podem ser as consequências disso?

É difícil dizer no momento, já que o projeto ainda não foi especificado, então, não é possível saber exatamente quais as consequências. 

Porém, vale ressaltar que o mercado adora países cujas liberdades são asseguradas. Quanto mais controle o Estado exerce, menos dinheiro o cofrinho do país arrecada. 

Ou seja, a longo prazo, essas medidas e projetos podem prejudicar a economia da Argentina. 

Inscreva-se na nossa newsletter!