Início » Internacional » Após Evergrande, três incorporadoras chinesas ameaçam calote

Após Evergrande, três incorporadoras chinesas ameaçam calote

Virou moda
Evergrande paga título de dívida um dia antes do prazo e evita calote
(Foto: Reprodução/Hector Retamal)

Após a Evergrande, segunda maior incorporadora imobiliária da China declarar no último mês que não teria dinheiro para pagar suas dívidas que chegavam a US$300 bilhões, a Modern Land e a Fantasia Holdings também passam por apertos financeiros. 

Relembrando o caso Evergrande

A Evergrande é uma titã chinesa que está na Global 500, uma das 500 empresas do mundo que mais geram receita e que emprega mais de 200 mil pessoas. 

Além disso, a empresa acumula luxos como um time de futebol que hoje tem o nome da empresa, estádio próprio que custou US$1,7 bilhão e ae uma ilha artificial com shoppings, museus e parques de diversão, já deu pra ver o tamanho desses caras né? 

Mas, todo mundo sabe que a conta uma hora chega e a Evergrande declarou no dia 14 de setembro que não tinha mais dinheiro para pagar as dívidas. 

O Banco do Povo da China vem injetando dinheiro no sistema financeiro para tentar conter os possíveis efeitos que um calote de US$300 bilhões tem em uma economia e uma saída que vem sido discutida é estatizar a empresa para reestruturá-la.  

Caso Modern Land e Fantasia Holdings 

Depois do caso da Evergrande, duas outras incorporadoras também estão dando o que falar por lá. 

A Modern Land pediu a seus credores, permissão para atrasar o pagamento de US$250 milhões e a empresa teve que emprestar dinheiro para poder sanar parte das dívidas e conseguir honrar os pagamentos. 

Além da Modern Land, a Fantasia Holdings teve um caso curioso. Dois diretores da empresa anunciaram saída após a companhia não pagar os US$206 milhões em bônus em dólar após meses de dificuldades financeiras na Fantasia Holdings.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp