Alemanha sofre com a maior inflação dos últimos 49 anos

Só em maio deste ano, o aumento de preços chegou a 7,9% ao ano
Imagem da alemanha que enfrenta uma alta inflação

Não adianta reclamar que só o Brasil está passando por uma crise, ou mesmo que só nós estamos sofrendo com a inflação. Estados Unidos, Inglaterra e agora Alemanha enfrentam as maiores inflações das últimas décadas. 

O instituto alemão de estatística, Destatis, divulgou a prévia da inflação, medida pelo índice de preços ao consumidor, ou Consumer Price Index (CPI). O indicador mostra um aumento de preços de 7,9% ao ano em maio deste ano. 

A Alemanha não via uma inflação tão alta como essa, desde dezembro de 1973. Em relação a abril, o aumento foi de 0,9%.

O que é a inflação?

Inflação é o aumento generalizado nos preços de produtos e serviços em uma economia. Isso quer dizer que o aumento dos preços de um único produto, ou de um setor, não é considerado inflação. 

Enquanto aqui no Brasil, o índice oficial de inflação é medido pelo IPCA, Índice de Preços ao Consumidor Amplo, internacionalmente é conhecido como CPI. 

O que está causando essa inflação?

Aparentemente, o ponto em comum entre os brasileiros, americanos, ingleses e alemães, é o sofrimento com o aumento dos preços dos combustíveis. Só o setor de energia, aumentou 38,3% em maio, comparado com o mesmo período do ano passado. 

No momento em que estamos perto do fim, de uma das maiores crises que já enfrentamos, causada pela pandemia, a guerra entre Rússia e Ucrânia vem para estender esse período de incertezas econômicas. 

Da mesma forma, infelizmente, segundo Holger Schmieding, economista-chefe do banco Berenberg Bank, esse aumento de preços ainda tem muito chão pela frente.

Quais são os impactos no Brasil?

A questão não é nem entender o que a inflação na Alemanha impacta no Brasil, mas sim entender o cenário mundial. Dessa forma, é necessário compreender como mexer com um setor de necessidade mundial, pode afetar o mundo todo gravemente. 

Seja aqui, na China, nos Estados Unidos, qualquer complicação em países desenvolvidos, vai afetar diretamente os países emergentes como o Brasil.

Inscreva-se na nossa newsletter!