Alemanha à beira da recessão econômica

Como revelou um instituto do país, o sentimento das empresas por lá é que vem chumbo grosso à frente
Imagem de bandeira da Alemanha em prédio, simbolizando recessão econômica

Será que ouvir falar de recessão na Alemanha, a maior economia da Europa, já pode ser motivo para encomendar o kit de água benta e dentes de alho?

Alerta de recessão na Alemanha

A semana já começou com um “levantamento da morte” publicado nesta segunda-feira (25) para a Alemanha. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica do país, Ifo, na sigla em alemão, o país estaria à beira de uma recessão econômica.

O presidente do instituto, Clemens Fuest, admitiu que a situação se agravou com as recentes análises do sentimento das empresas por lá. Nesse sentido, a declaração negativa vem após o índice que mede a expectativa das empresas atingir o pior nível desde junho de 2020.

Leia mais:

Rússia e Ucrânia assinam acordo

Governo prepara novo corte no IPI após rejeição do STF

O que tá rolando?

Não é novidade que o cenário caótico de inflação em alta e medo de recessão é um vírus que se alastra ao redor de todo o mundo. No entanto, a situação lá pelas bandas da Europa ganha um contorno de ainda maior histeria com os temores de uma crise energética.

Primeiramente cabe lembrar que a guerra entre Rússia e Ucrânia, por si só, já afetou todo o mercado de petróleo no mundo. Porém, para se somar a isso, em retaliação às sanções do ocidente, a Rússia limita desde junho, o seu fornecimento de gás natural ao continente.

Cerca de 40% de todas as importações europeias do item vem da Rússia, e por isso o medo vem tão forte. No caso da Alemanha, que antes da guerra comprava cerca de 55% do seu gás da Rússia, agora vê o número em 35%, fazendo toda a economia tremer na base.

O que vem por aí?

Diante do cenário, o chefe Ifo admitiu que a recessão batia à porta, e não poderia mais ser descartada. Inclusive, o Fundo Monetário Internacional, na semana passada, chegou a prever que, caso a crise do gás se agravasse, haveria uma retração do PIB da Alemanha em 1,5% já este ano.

Na prática, as empresas do país esperam que os negócios piorem significativamente, pressionando toda a economia por lá. Apesar disso, o levantamento publicado hoje não surpreende, mas, ao contrário, entrega mais uma foto obscura do cenário que está à frente.

Inscreva-se na nossa newsletter!