Vendas no varejo caem 3,1% em agosto no Brasil, diz IBGE

O resultado veio beeem abaixo das expectativas. Ninguém disse que seria fácil, né?
Vendas no varejo caem 3,1% em agosto no Brasil, diz IBGE

As vendas no varejo brasileiro caíram 3,1% em agosto em comparação com o mês de julho, segundo as informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (6).

Surpreendentemente, a queda fica ainda maior quando olhamos para o mesmo período de 2020, em meio a um momento crítico da pandemia. Na comparação anual, a variação negativa é de 4,1%.

No entanto, é importante ressaltar que, mesmo com a queda, o comércio varejista ainda está 2,2% acima do patamar pré-pandemia, em fevereiro de 2020.

Surpresa negativa

Sabe quando a galera ligava para o “Bom Dia & Cia”, pedia playstation e ganhava um jogo da vida? Essa foi a quebra de expectativas dos especialistas com os dados divulgados hoje pelo IBGE.

Os analistas ouvidos pela Reuters esperavam altas de 0,7% na comparação mensal e 2% na anual. Já os consultados pelo Projeções Broadcast esperavam um intervalo entre -1,4% a 2,4% para a comparação mensal, com mediana de 0,6%.

O que isso significa?

Depois de quatro meses em alta, as vendas no país foram fortemente puxadas para baixo em agosto. 

Com uma queda de 16% no período (na comparação anual), o setor de artigos para uso pessoal e doméstico, marcado pelas lojas de departamento, foi a principal influência para variação negativa.

Além disso, os setores de de equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-4,7%), combustíveis e lubrificantes (-2,4%) e móveis e eletrodomésticos (-1,3%) também impulsionaram a baixa.

Por outro lado, somente tecidos, vestuário e calçados (1,1%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,2%) subiram em agosto.

Os dados divulgados hoje reforçam preocupações sobre a retomada da economia e, especialmente, sobre os impactos da inflação para que isso aconteça.

Dica do Adm

Se você chegou até aqui, você provavelmente vai gostar de: Projeção para a inflação subindo pela 26ª semana seguida, mostra Boletim Focus

Inscreva-se na nossa newsletter!