Vendas no varejo brasileiro caem 1,3% em setembro

Refletindo também o avanço da inflação, esta é a segunda queda seguida do setor
Vendas no varejo brasileiro caem 1,3% em setembro

As vendas no varejo brasileiro caíram 1,3% em setembro em comparação com o mês de agosto, conforme informações divulgadas hoje (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em comparação ao mesmo período do ano passado, a variação negativa foi de 5,5%.

Os dados vieram piores do que as expectativas dos especialistas.Os analistas consultados pela Reuters previam um recuo de 0,6% na comparação mensal e de 4,25% em relação à 2020.

Além disso, a queda foi a maior para um mês de setembro desde 2000, quando a série histórica começou.

Desempenho por setor

O cálculo feito pelo IBGE considera oito setores do varejo brasileiro. Entre eles, apenas um, o de artigos farmacêuticos, não caiu e apresentou um leve avanço de 0,1%.

Por outro lado, o segmento de hiper e supermercados foi o que mais contribuiu para a queda, considerando o seu peso na composição. O indicador registrou uma variação negativa de 1,5% em setembro.

Além disso, o setor de equipamentos e material para escritório, informática e comunicação caiu 3,6%. O de móveis e eletrodomésticos não ficou muito atrás e retraiu 3,5% no mês passado.

E o que causou isso?

São tantas notícias sobre aumento dos preços que parece até repetição. Porém, não dá para não comentar sobre o avanço da inflação nesta notícia, que já chega a 10,65% em 12 meses e pressiona o orçamento das famílias. 

Além disso, o aumento da taxa Selic, a taxa básica de juros da economia do Brasil, torna o crédito mais caro para os consumidores. Os juros brasileiros já estão em 7,75% ao ano, o que também enfraquece o consumo.

Inscreva-se na nossa newsletter!