Prévia do PIB tem resultado pior do que o previsto

O IBC-Br apresentou uma queda de 0,4% em outubro, enquanto a previsão era de queda de 0,2%
Bandeira do Brasil atrás e moedas na frente para simbolizar o PIB brasileiro

Alerta de spoiler! Nem os três homens-aranha para impedir o trio que mais assombra os brasileiros ultimamente: PIB, inflação e dólar.

Na manhã desta quarta-feira (15), o Banco Central divulgou os dados do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), que representa uma prévia do resultado do Produto Interno Bruto (PIB), mostrando uma queda de 0,4% em outubro, comparado com setembro.

O que é o IBC-Br?

O IBC-Br é visto como uma prévia do PIB do Banco Central. Ele avalia o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. Lembrando que o PIB mostra um resultado trimestral, por isso as medições mês a mês são importantes.

Quais eram as previsões?

A pesquisa feita pela Refinitiv, uma das empresas mais respeitadas do mundo na área de dados econômicos, mostrou uma queda de apenas 0,2%. Já a Bloomberg estimou uma queda de exatamente 0,4% assim como o resultado efetivo.

Como ficaram as outras comparações?

O dado do IBC-Br resulta em uma queda de 1,48% quando comparado com outubro de 2020, evidenciando o pior resultado para o mês desde 2017.

Apesar dos dados negativos tanto na comparação mensal como anual, em 2021 até outubro o índice mostra um crescimento de 4,99%.

Esses dados do IBC-Br são definitivos?

Assim como o próprio PIB, os resultados do IBC-Br ainda serão revisados. Dessa forma, o Banco Central divulgou os índices corrigidos de setembro (-0,46%) e agosto (-0,45%).

Quais os impactos desses dados?

Primeiro de tudo, é bom ter em mente que o IBC-Br é uma previsão, portanto é necessário esperar os resultados oficiais. Além disso, ele serve mais como aviso do que causa para alguma consequência.

Mas como prévia, é um bom alerta de que nossa atividade econômica está desacelerando ao longo dos meses.

Lembrando que no último trimestre tivemos um resultado negativo, colocando o país em recessão técnica. Vamos ficar de olhos abertos.

Inscreva-se na nossa newsletter!